domingo, 2 de outubro de 2011

2º Ano A e B (2ª Etapa)

2ª Etapa

A transposição do rio São Francisco

A transposição do rio São Francisco, ou seja, a mudança do fluxo de parte do seu leito para áreas onde a seca é mais intensa, foi a saída escolhida pelo governo federal para eliminar parte do problema da seca. O projeto, no entanto, é polêmico. Apesar de já iniciada, a transposição vem sendo questionada por vários setores da sociedade, de organizações civis a cientistas. Em 19 de dezembro de 2007, o Supremo Tribunal Federal negou o pedido da Procuradoria da República de paralisação das obras.

No mapa abaixo observa-se o traçado da transposição.

Entenda o projeto de  transposição do Rio São Francisco

Não esqueça que o objetivo do projeto é transposição de cerca de 2% do volume de águas do Rio São Francisco que iriam desaguar no mar, para bacias hidrográficas das regiões do semiarido nordestino. Para a condução das águas será construído uma rede de canais, túneis, adutoras, estações para tratamento e também reservatórios construídos nos eixos saídos do rio, localizados entre a barragem de Sobradinho e de Itaparica. Serão dois canais principais o Eixo Norte, tem 402 km que deve levar a água para o sertão de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte e o Eixo Leste, com cerva de 210 Km que vai levar água para uma parte do sertão e agreste de Pernambuco e Paraíba. O projeto tem um orçamento de R$ 4,5 bilhões para construção de toda a extensão dos Eixos Norte e Leste, e o projeto é de responsabilidade do MI – Ministério de Integração Nacional, que pretende garantir aos nordestinos através do projeto, o acesso permanente a água de boa qualidade, para ser usada para o consumo humano e para as atividades industriais e para a agricultura.
A transposição do Rio São Francisco traz em sí não só a promessa de agua nas torneiras de parte da população do nordeste brasileiro, mas também a possibilidade de desenvolvimento dessa região e melhor qualidade de vida para ela população tão castigada pelas secas.

Observe as charges abaixo:


Pesquise mais sobre a transposição do rio São Francisco e cite os prós e os contras dessa obra. No final coloque a sua opinião sobre o assunto.

63 comentários:

  1. Vanessa Kunz, 2º A5 de outubro de 2011 16:02

    Pesquisa:

    A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco, no Brasil, nomeado pelo governo brasileiro como "Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional". O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional – MI. Orçado atualmente em R$ 6,8 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos, pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados . O principal argumento da polêmica dá-se, sobretudo pela destinação do uso da água: os críticos do projeto alegam que a água será retirada de regiões onde a demanda por água para uso humano e dessedentação animal é maior que a demanda na região de destino e que a finalidade última da transposição é disponibilizar água para a agroindústria e a carcinicultura - contudo, apesar da controvérsia, tais finalidades são elencadas como positivas no relatório de Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) em razão da conseqüente geração de emprego e renda.


    Minha opinião:

    Eu sou contra a transposição do Rio São Francisco, Pois este projeto favorecerá mais aos governadores que são corruptos e só tem a ambição de querer mais e mais dinheiro, vantagens, etc.
    Entretanto, possui seu lado positivo como: a geração de milhões de empregos durante a obra, abastecimento de água para a população do sertão com água de boa qualidade, reduzindo assim o número de doenças, e a escassez de alimentos; irrigação de áreas agrícolas podendo assim cultivar alimentos para o próprio consumo. Todavia, possui também o lado negativo em que haverá a perda de emprego após a construção, a modificação do ecossistema, a redução da biodiversidade, a diminuição da produção de energia elétrica, da irrigação e do abastecimento de águas para as cidades, alteração do volume de água, a desapropriação das terras e o êxodo das regiões atingidas alterará o modo de vida e os laços comunitários de parentesco e compadrio, que são muito importantes para enfrentar as condições precárias de vida de muitas comunidades e também o desmatamento de 430 hectares de terra com flora nativa e possível desaparecimento do habitat de animais terrestres habitantes destas regiões. Portanto, não sabemos certamente onde passará o canal, pois os governadores não divulgam para que eles comprem as terras baratinhas para mais tarde talvez vender e com um valor bem maior. Porém milhares de biótipos irão secar deixando em extinção centenas de espécies que ainda nem sequer foram cadastradas, nas margens fauna e flora serão altamente afetadas, mananciais marinhos que diretamente e indiretamente são abastecidos pelas águas desse rio serão prejudicados. Portanto nem foram feitas as pesquisas corretamente, com os dados certos, pois o rio pode até secar o que afetará a população abastecida por esse rio, pois um projeto deve ser iniciado e aprovado somente quando puder alcançar o objetivo, o que talvez neste projeto nem aconteça, pois a transposição só irá ajudar os grandes latifundiários nordestinos, pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados.
    (Pois então,para que serve a opinião técnica ou os estudos científicos se os interesses econômicos, políticos e a ambição pessoal prevalecem a favor de um corrupto.)


    Vanessa Regina Kunz, 2ª ano A

    ResponderExcluir
  2. Prós e Contras

    A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados [2]. O principal argumento da polêmica dá-se sobretudo pela destinação do uso da água: os críticos do projeto alegam que a água será retirada de regiões onde a demanda por água para uso humano e dessedentação animal é maior que a demanda na região de destino e que a finalidade última da transposição é disponibilizar água para a agroindústria e a carcinicultura - contudo, apesar da controvérsia, tais finalidades são elencadas como positivas no relatório de Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) em razão da consequente geração de emprego e renda.

    Opinião

    Eu sou contra a transposição do rio São Francisco, por que a obra é principalmente de interesse político e econômico, e não para solução da seca no nordeste brasileiro (um dos argumentos usados pelos governantes). Além de ser um projeto muito caro não resolve o problema da seca, pois a regiões realmente necessitadas não serão beneficiadas com o a transposição. O rio não suportará a imensa retirada de água, afetando não só o volume do “Velho Chico” mais também todas as espécies de peixes. A obra em si percorrerá 700 km de canais de concreto afetando a fauna, flora e desabrigando cerca de um milhão de famílias.

    Thiago Teixeira Weisheimer, 2º A

    ResponderExcluir
  3. Prós e Contras
    Os prós para a realização da transposição é que de alguma forma ou de outra essa água chegará a população do Nordeste brasileiro, trazendo assim grandes benefícios para os mesmos. Porém, os contras da transposição é o fato de que além de estar causando um imenso impacto ambiental, ela está beneficiando e dando lucros para os políticos, devido realização do projeto está sendo feita para passar pelas fazendas dos mesmos.

    Opinião
    Sou contra a Transposição do Rio São Francisco, pois se estão realizando o projeto no intuito de "trazer uma melhoria na vida do povo nordestino" por conta da seca, eles poderiam fazer isso através da retirada da água dos lençóis freáticos, ao invés de está causando tamanho impacto. Mas na verdade o verdadeira intuito é beneficiar os políticos, fazendo com que as águas passem por suas fazendas, ajudando assim no faturamento lucrativo. Por conta desses fatos mostro aqui a minha posição contraria a transposição.

    Raquel Lima Ferreira 2°"A"

    ResponderExcluir
  4. a transposição do rio são Francisco é algo que envolve a população; o rio esta precisando de melhorias da parte da população pois o esgoto esta sendo jogado no rio e seus afluentes , desmatando a mata ciliar causando assoreamento, mas o projeto em si prevê ajudar o povo .
    minha opnião :

    o rio não precisa ser transposto, pode muito bem se utilizar a agua de lençois freaticos ,o governo usa disso para ganhar votos e desviar dinheiro publico
    aluno: Ahmad Ali Nunes Ghazzaoui 2° b

    ResponderExcluir
  5. Uma polêmica obra que vem desde o governo Lula, já foi cenário de acidentes com feridos e até mortos, e a presidente Dilma jura ainda estar dentro dos prazos. Esta é a situação da transposição do Rio São Francisco, ou formalmente, o “Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional”, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional. Com um custo de quase R$ 7 bilhões, a obra consiste na construção de dois canais principais (Eixos Norte e Leste) somando aproximadamente 700 km de extensão visando a irrigação no semi-árido nordestino. A polêmica é reforçada de várias maneiras por, entre outros, tratar-se de uma obra cara que abrange uma pequena parte do território brasileiro e que vai beneficiar a poucas pessoas do semi-árido. Muitos reclamam dos benefícios que latifundiários virão a ter com o desvio da água passando por suas terras, sendo usada na agroindústria e deixando para trás o principal: o consumo humano de quem realmente necessita. Além do problema do desequilíbrio ecológico em torno da Bacia do São Francisco.

    Essa é mais uma obra (como todas as outras) recheada de interesses unicamente políticos baseada no popularismo e busca por votos, querendo que, a qualquer custo, as pessoas tenham água em suas torneiras sem levar em consideração as inúmeras consequências ecológicas e sociais. Existe o imediatismo, é claro, mas seria preciso ponderar o que realmente é necessário e fazer o que fosse mais apropriado com estudos aprofundados, além de investigar se essas pessoas realmente serão beneficiadas ou se somarão às outras vítimas. Os índios também têm direito a sua terra, as pessoas também precisam dos peixes do rio e da água para irrigar sua horta, mas gastar R$ 7 bilhões com todo esse risco...

    Lucas Alcantara/2° A

    ResponderExcluir
  6. Um dos principais projetos do governo Lula, a integração do São Francisco com outras bacias hidrográficas do Nordeste objetiva acabar com o problema da seca no semi-árido brasileiro. A proposta, tão antiga quanto a própria seca na região, tem argumentos contrários e favoráveis. A maior defesa vem do próprio governo, que tem trabalhado para tornar o projeto um marco deste segundo mandato do presidente Lula.
    Na linha de frente está o ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, que declarou recentemente que as obras são irreversíveis e não há negociação em torno da continuidade do projeto em si. Estudos do Ministério da Integração Nacional mostram que a integração de bacias no Nordeste promoverá a igualdade de oportunidade para os brasileiros daquela região e demonstram que o projeto não trata apenas de levar água para beber, mas para manter as atividades industriais, comerciais e agrícolas.


    Após o agravamento da crise do abastecimento hídrico do Nordeste no ano de 1999, a transposição do rio São Francisco passou a ser vista como a única alternativa de solução do problema. Atualmente, existem dois cenários bem definidos com relação ao tema. O primeiro é o cenário do imediatismo, caracterizado pela ânsia de fazer chegar água, a todo custo, nas torneiras da população (pensamento muito comum na classe política), sem haver, no entanto, a preocupação com as conseqüências impostas ao ambiente ao se adotar essa alternativa e o segundo é o cenário da ponderação, caracterizado por preocupações constantes (principalmente na classe técnica) com relação às limitações das fontes hídricas na condução do processo transpositório.
    A transposição do São Francisco vai servir para o capital da fruticultura,pois seu maior perimetro irá abasrtecer uma area especulada para cultura irrigada,sabe-se que apenas 16 por cento será usado para o consulmo das populações,sendo que o restante será usado pelo agro-negócio,o interessante é que o custo dessa obra é muito alto bem como sua manutenção,sem fala nos risco de o rio São Francisco viráum Mar de Aral(seca e ficar salino)pois as pequisas forão muito escassas,não se têm um projeto de de recuperação do rio,sua mata ciliar não existe mais em nome da progresso virou lenha(carvão) e pasto para o gado da pecuaria extensiva,tem um estudo da ASA.que fez um atlas pelo qual têm meios de abastecer a população carente do sertão sem precisar a transposição,vale salientar que esse orgão é do proprio governo,outra coisa estranha e que naõ foi feito um plebicito,bem como não foi ouvida a população ribeirinha,um exemplo de ´para quem essa agua irá beneficira é o que acontece em Juazeiro-ba,onde a CODEVASF orgão do governo têm cerca de 85 por cento de sua agua destinada a agrovale,e não aos ribeirinhos,outro fato é que a foz do rio está se transformando em um delta,pela perda de energia luvial,após a construção da represa de sobradinho feita no governo militar sem um estudo de impacto,sem falar que à manutenção da lamina de agua do rio está dependente do norte de minas(tipo uma seca nessa regiõa comprometeria o fluxo de agua)é um projeto que precisa ser avaliado pois os propios orgãos do governo estão contra Tipo:TCU,ASA,EMBRAPA.

    ResponderExcluir
  7. A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco, no Brasil, nomeado pelo governo brasileiro como "Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional". O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional – MI. Orçado atualmente em R$ 4,5 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a Região Nordeste do Brasil.
    Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados. O principal argumento da polêmica dá-se sobretudo pela destinação do uso da água: os críticos do projeto alegam que a água será retirada de regiões onde a demanda por água para uso humano e dessedentação animal é maior que a demanda na região de destino e que a finalidade última da transposição é disponibilizar água para a agroindústria e a carcinicultura.

    Eu particularmente sou contra a transposição do Rio São Francisco, que apesar de ser um projeto que tem como objetivo, ao menos teoricamente, levar água para as pessoas que vivem na área de seca, não leva-se em conta os problemas ambientais que tal ação poderá causar, sendo que este um dos rios mais importantes do Brasil, observando que esse impacto poderia ser polpado, uma vez que poderia ser aproveitado a água dos lençóis freáticos, porém para os políticos e grandes fazendeiros isso não seria viavel, pois o real interesse deles é conseguirem através disso lucros e votos.

    Karolinne Barretto 2º A

    ResponderExcluir
  8. O projeto de transposição das águas do rio São Francisco consiste na transferência de águas do rio para abastecer pequenos rios e açudes da região Nordeste que possuem um déficit hídrico durante o período de estiagem. Pela proposta de transposição em estudo pelo governo, o rio São Francisco doaria cerca de 60 metros cúbicos por segundo de vazão aos açudes e pequenos rios da região. Os estados mais beneficiados seriam a Paraíba, o Rio Grande do Norte e o Ceará. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados.

    Opnião
    Sou contra a esse projeto de transposição das águas do rio São Francisco, pois os interesses políticos concerteza visados nele, não é de resolver o principal problema da seca do nordeste, e sim de beneficiar os grandes latifundiários, sendo os trajetos dos eixos passando dentro de grandes fazendas. Se no Brasil não tivesse essa política corrupta sempre presente, poderíamos ate acreditar que um projeto como esse ajudaria aos pobres sertanejos. Outro ponto também a ser questionado e o impacto ambiental causado pela obra, que não é pequeno, pois será desmatada uma grande área, mas o poder político também não liga muito nisso, e sim em só ganhar.

    Stanley,2°ano A

    ResponderExcluir
  9. Aluna: Victória Guimarães Zanetti
    Série: 2º ano B

    Muitos países veem o Brasil como um lugar paradisíaco, que tem sorte por não conviver com desastres naturais, um lugar onde a única preocupação das autoridades é proporcionar o bem estar de sua população. Porém sabemos que o Brasil sofre com um problema de extrema importância: a seca.
    As autoridades competentes que regem seus legados nas regiões devastadas pela seca, viam este problema como apenas mais uma tática para conseguir votos através de uma população submissa à água oferecida pelos políticos em épocas de eleições. Surgiu então um projeto proposto pelo governo federal que visava acabar de uma vez por todas com o sofrimento e desigualdade gerada pela falta de água nessa região. A transposição do Rio São Francisco que consiste em estender a circulação do "Velho Chico" (cujo leito está, maior parte, em Minas Gerais, Pernambuco e Bahia) também para os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará, além de áreas semi-áridas de Alagoas, Pernambuco e Sergipe. Abastecida pelo rio, a região do Polígono da Seca teria água suficiente para a agricultura e o consumo individual apesar de haver água suficiente em seu subsolo que pode ser retirada com simples poços artesianos.
    È perceptível que o projeto tem bases que visam uma ajuda social que poderia melhorar a vida de milhares de pessoas que sofrem dia-a-dia pela falta de um requisito básico para vida. Entretanto parece que todos os “bons” projetos que este país já criou tem por traz pessoas que pensam somente no lucro e em seus próprios benefícios. Antes mesmo do inicio das obras políticos já possuíam em suas mãos o mapa que mostra por onde a água passará a circular. Este mapa que nunca chegou às mãos da população mais interessada na transposição permitiu que os políticos comprassem boa parte das terras que serão beneficiadas pela água. Ou seja, a obra tem um objetivo maravilhoso que se fosse concretizado melhoraria a vida de muitos, a economia e consequentemente o nosso país, mas com todas as falcatruas quem ocorrem por baixo dos panos, essa será apenas mais uma obra que terá um impacto ambiental catastrófico e que beneficiará pouquíssimas pessoas, favorecendo mais uma vez políticos que nunca sentiram na pele a dor de tentar sobreviver e criar seus filhos com praticamente nenhuma água.

    ResponderExcluir
  10. A transposição tem como objetivo irrigar a Região Nordeste e semi-árida do Brasil através de canais que conduzirão parte das águas do rio São Francisco. Este projeto traz consigo impactos positivos como o aumento da água disponível, a geração de emprego para as obras, abastecimento com água de boa qualidade que diminuirá o número de doenças e óbitos através do consumo de água contaminada ou pela falta dela, e a redução de problemas trazidos pela seca. Embora traga benefícios, o projeto também apresenta impactos negativos que comprometerão a população que mora nas áreas que ocorrerá a transposição, tais como: Modificação nos ecossistemas dos rios da região receptora, alterando a população de plantas e animais aquáticos; risco de redução da biodiversidade das comunidades biológicas aquáticas nativas nas bacias receptoras; a desapropriação das terras e o êxodo das regiões atingidas alterarão o modo de vida; circulação de trabalhadores por terras indígenas de duas etnias: Truká e Pipipã, gerando interferências indesejáveis; desmatamento de 430 hectares de terra com flora nativa e possível desaparecimento do habitat de animais terrestres habitantes destas regiões; alguns rios não têm capacidade para receber o volume de água projetado, inundando os riachos paralelos; grande parte do projeto passa por latifúndios e os problemas nordestinos não serão solucionados.

    Opinião

    Eu sou contra a transposição do Rio São Francisco, uma vez que trará inúmeros problemas ecológicos e sociais para a região. E além do mais, o problema da seca não será solucionado já que a água decorrente da transposição só passará por latifúndios onde não haverá acesso para a população rural. Outro fator que me leva a ser contra é o fato de existir lençóis freáticos na região, podendo então retirar água deles para abastecer a população, e assim o custo seria menor que o da transposição sem trazer tantos malefícios.

    Letícia Lima - 2ºA

    ResponderExcluir
  11. Prós e contras:

    O projeto de transposição do Rio São Francisco é um tema bastante polêmico, pois engloba a suposta tentativa de solucionar um problema que há muito tempo afeta as populações do semi-árido brasileiro, a seca; Como benefícios desse projeto, pode-se relatar que o fornecimento de água terá vários fins, sendo que a maioria seria dedicada à irrigação (70% para irrigação, 26% para uso industrial e 4% para população difusa); o grande número de empregos gerados, direta e indiretamente; aumento a renda e o comércio das regiões atingidas; abastecimento de até 12,4 milhões de pessoas das cidades; redução de problemas trazidos pela seca, como a escassez de alimentos, baixa produtividade no campo e desemprego rural e a redução da pressão na infra-estrutura de saúde devido à diminuição dos casos de das doenças trazidas pelas águas impróprias.
    Contudo, tem sido criticada por ambientalistas e representantes de outros setores da sociedade por trazer aspectos negativos. Como malefícios temos: a modificação nos ecossistemas dos rios da região receptora, alterando e reduzindo a população de plantas e animais aquáticos; introdução de tensões e riscos sociais durante a fase de obra; a desapropriação das terras e o êxodo das regiões atingidas alterará o modo de vida das pessoas; a região do projeto possui muitos sítios arqueológicos, colocando-os em risco de perda deste patrimônio devido às escavações; alguns rios não têm capacidade para receber o volume de água projetado, inundando os riachos paralelos.

    Opinião:

    Sou totalmente contra a Transposição do Rio São Francisco. Esse é um projeto gigantesco, ambicioso e polêmico do governo e é ainda criticado por ambientalistas e outros setores da sociedade por preocupação com as consequências impostas ao ambiente ao se adotar essa alternativa. A tão contestada decisão do governo Federal de transpor as águas do Rio São Francisco é um projeto que ainda carece de debates e procuras por melhores alternativas de levar essa água para a população necessitada; existem alternativas mais baratas e que podem levar a água para muito mais pessoas, como retirar a água dos grandes lençóis freáticos que há nesta região. Então, deixo aqui minha opinião contra a Transposição do Rio São Francisco.

    Anna Paula Rodrigues - 2º A

    ResponderExcluir
  12. A transposição do Rio São Francisco poderia sim gerar desenvolvimento e a redução dos problemas causados pela seca, mas observe que eu disse "poderia" se o seu projeto seguisse o plano original pois por onde os canais da tranposição do rio passasse essa região se desenvolveria mas a maioria das terras em que passa pelos canais são de políticos ou seja eles usariam essa água para proveito próprio como trocar a água por votos ou ainda desviar os recursos que são mandados para sanar os problemas relacionados a seca.
    temos outras alternativas para ajudar essa região tão assolada pela seca como a criação de poços artesianos nas propriedades das pessoas.

    ResponderExcluir
  13. O Projeto de Transposição do Rio São Francisco não é uma idéia nova. Ampliado no governo Lula, ele existe há décadas. O plano básico é construir dois imensos canais ligando o rio São Francisco a bacias hidrográficas menores do Nordeste, bem como aos seus açudes. A seguir, seriam construídas adutoras, com o objetivo de efetivar a distribuição da água.
    De acordo com o governo federal, o projeto seria a solução para o grave problema da seca no Nordeste, pois distribuiria água a 390 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte - uma população de 12 milhões de nordestinos. O prazo para realização do projeto é de 20 anos, a um custo total estimado, até meados de 2009, em R$ 4,5 bilhões.
    Minha opinião
    O projeto de transposição do Rio São Francisco apresenta seus pontos positivos e seus pontos negativos.
    Na visão positiva temos o abastecimento de água em lugares mais secos no sertão, onde irá existir a possibilidade de realizar obras hidráulicas que permite projetos de irrigação, gerar melhor qualidade de vida para as pessoas que moram nessas áreas e também no período do projeto haverá mais quantidade de empregos nessa área.
    Na visão negativa temos o custo da obra que é muito elevado e também um grande impacto ambiental. Será muito investimento para beneficiar apenas uma pequena parte da população. E também ocorrerá uma grande modificação nessa área do nosso ecossistema.

    Júlia Adriani Fioretti, 2º ano B

    ResponderExcluir
  14. Prós

    O governo diz que todas as etapas estão sendo discutidas.Os idealizadores dizem que 12 milhões de pessoas serão beneficiadas e que a irrigação de pólos agrícolas aquecerá a economia e aumentará o número de empregos.Para os defensores, as cisternas não resolveriam o problema. Segundo seus cálculos, um milhão de cisternas podem armazenar 23 milhões de metros cúbicos. Já a transposição conseguirá levar 35 vezes mais água para quem precisa.Os idealizadores dizem que o projeto prevê a revitalização das margens do rio São Francisco e que o tratamento de água pode diminuir a poluição nessas água, o que ajudaria o ecossistema.O governo argumenta que apenas 1% do volume do reservatório irá ser usado na transposição.

    Contras

    Os críticos dizem que as discussões estão sendo restritas e feitas a toque de caixa.Os movimentos sociais argumentam que os maiores beneficiados serão os grandes produtores e empresas ligadas a grandes projetos como o Ceara Steel. Os pequenos agricultores poderão acabar perdendo recursos. Eles questionam também o número de pessoas beneficiadas.Os críticos dizem que há alternativas mais baratas como cisternas para mitigar os problemas da seca.Ecologistas questionam o projeto que pode causar danos para a fauna e flora regional como aconteceu com a construção do reservatório de Sobradinho. Serão desmatados 430 hectares.Alguns acreditam que a transposição pode acabar com a perenidade de alguns afluentes.

    ResponderExcluir
  15. Marianna Dias - 2° B

    O projeto de transposição do Rio São Francisco é um tema bastante polêmico, pois se trata de uma tentativa de solucionar um problema, que afeta as populações do semi-árido brasileiro, a seca.E ao mesmo tempo, trata-se de um projeto delicado do ponto de vista ambiental, pois irá afetar um dos rios mais importantes do Brasil, tanto pela sua extensão e importância na manutenção da biodiversidade, quanto pela sua utilização em transportes e abastecimento.
    De um lado, estão aqueles que argumentam que a transposição das águas seria a salvação para as populações que vivem na região do Sertão Nordestino; do outro, ambientalistas e técnicos que advertem que a transposição será um verdadeiro “tiro no pé”, pois o Velho Chico (há muito tempo castigado por causa do uso indiscriminado de suas águas e pelo crescente desmatamento de suas matas ciliares, o que gera assoreamento )não suportaria ceder parte do volume de suas águas. A Transposição trará benefícios como a geração de empregos, a redução dos problemas ocasionados pela a seca, as famílias seriam abastecidas com água de boa qualidade... Porém os malefícios são inúmeros, o mais preocupante são os impactos ambientais gerados como:desequilíbrio da cadeia alimentar,pois haverá a destruição de habitat;alteração da fauna e flora;desmatamento ;inundações de riachos...Além disso o projeto atingirá uma minoria,pois o projeto passa por grandes fazendas,portanto só iria ajudar os grandes latifundiários,diferente do que os grandes políticos dizem.O projeto na verdade, é fruto de um grande interesse político,a procura de votos,pois querem melhorar a vida da população de alguma forma,não levando em consideração os problemas futuros.
    Como podem ver o projeto apresenta mais malefícios do que benefícios, portanto não deve continuar devido às inúmeras conseqüências que trará para as gerações futuras. O governo deve procurar uma alternativa para acabar com esses problemas nordestinos de outra forma, pois essa tentativa de acabar com esses problemas imediatamente só trará mais problemas no futuro. Uma solução para este grave problema seria do abastecimento de água através dos lençóis freáticos.

    ResponderExcluir
  16. Pros e contras
    Esse projeto ele vai ajuda uma grande parte da população. Principalmente as pessoas que são castigadas pelas as secas.
    O projeto de transposição vai beneficiar cerca de 12 milhões de pessoas. E todas essas pessoas terão água nas suas torneiras. E que também poderá ser usada para o consumo humano e para suas atividades de agricultura.
    O projeto é bastante caro, pois a transposição do São Francisco custará cerca de 4,5 bilhões de reais.
    Ainda segundo a wikipédia, a transposição das águas do São Francisco irá abranger somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco.
    Ponto de vista
    Eu sou contra a transposição das águas do rio São Francisco, pois e uma obra muito cara. E o problema da seca poderia ser resolvido com a simples implantação de poços artesianos em vez de se gastar um enorme montante de dinheiro para desviar o curso das águas do rio causando um enorme impacto ambiental, sem falar que o verdadeiro intuito desse projeto e beneficiar os políticos fazendo com que as águas passem pelas suas fazendas.
    Lucas Jandrey 2ºA

    ResponderExcluir
  17. Larissa Tima Barbosa 2A

    O Projeto de Transposição do Rio São Francisco consiste na construção de dois grandes canais que vão retirar a água do rio e efetivar a distribuição desta para municípios de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, beneficiando cerca de 12 milhões de habitantes.
    O projeto abrange aspectos positivos como o aumento da água disponível, redução de problemas trazidos pela seca, e novas oportunidades de emprego para quem for trabalhar na obra. Porém, assim como o projeto traz benefícios, também apresenta aspectos negativos, como o risco de redução da biodiversidade aquáticas nativas nas bacias receptoras; a região do projeto possui muitos sítios arqueológicos, colocando-os em risco de perda deste patrimônio devido às escavações; além de que latifundiários virão a ter benefícios com o desvio da água, pois estas irão passar por suas terras.
    Opinião.
    Sou contra. o projeto poderia sim reduzir os problemas da seca e gerar desenvolvimento. Porém sabemos que por traz de tudo isto existe apenas interesses politicos, como eu disse anteriormente, latifundiários virão a ter benefícios com o desvio da água, pois estas irão passar por suas terras. Desta forma eles usariam água para a seu favor, na busca de votos.
    É urgente que as pessoas do semi-árido recebam água de qualidade. Sim, é urgente, porém existem outras formas de que isso ocorra. O fato é que existe lençóis freáticos na região, podendo então retirar água deles para abastecer a população. o custo seria menor que o da transposição.

    ResponderExcluir
  18. A transposição do Rio São Francisco é um projeto muito polêmico, pois engloba a suposta tentativa de solucionar um problema que há muito afeta as populações do semi-árido brasileiro, a seca; e, ao mesmo tempo, trata-se de um projeto delicado do ponto de vista ambiental, pois irá afetar um dos rios mais importantes do Brasil, tanto pela sua extensão e importância na manutenção da biodiversidade, quanto pela sua utilização em transportes e abastecimento.
    O governo federal investiu muito dinheiro neste plano e muito se houve falar que as águas da transposição irão banhar terrenos de políticos, que com certeza não irão fornecer de "mão beijada" esta água, assim surgi o estado de dependência da população para com o político, que quer mais e mais poder ter submissos que possam o eleger nas próximas eleições.
    Diante destes fatos é impossível solucionar o problema da miséria no sertão, já que este projeto é movido pela corrupção e não pensa no bem estar da região, mas sim na superlotação monetária da conta dos políticos.

    Luis Damázio Pires
    2ºA

    ResponderExcluir
  19. A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco, no Brasil, nomeado pelo governo brasileiro como "Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional". Orçado atualmente em R$ 6,8 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados.
    Opinião;
    O projeto de transposição do rio São Francisco, é uma tentativa de solucionar o grave problema da seca que afeta a população do semi-áriodo, porém como este projeto há pontos positovos, também há pontos negativos que por consequencia afetará o meio ambiente, o rio São Francisco é de grande importancia para o tranporte e também para a sobrevivência dos ribeirinhos que obviamente dependem de sua fauna. Este projeto irá favorecer principalmente os politicos, pois irá abastecer fazendas e latifundios deles.
    Aluno: Gustavo Lucena de Oliveira - 2° ano A

    ResponderExcluir
  20. A transposição do Rio São Francisco seria importante pois levaria água para lugares secos e pessoas que tem sede.Mas por um ponto é perigoso,pois corre o risco do rio secar,e nem todo mundo é a favor da divisão do estado,o melhor seria deixar do jeito que se encontra e pensar e coisas futuras.
    Judson 2° B

    ResponderExcluir
  21. Os prós seria a ajuda ao sertanejo que vive num lugar onde o período sem chuva e muito extenso e toma quase todo o ano, com a transposição teriam água o ano todo ajudando na lavoura e em casa, mas em compensação a área desmata na abertura dos canais para o rio passar será muito grande.
    Opinião:
    Essa tentativa de melhorar a seca no sertão e na caatinga nordestina é uma ótima iniciativa do governo, mas devemos lembrar que com o nível de políticos que temos concerteza o nível de corrupção será alto, sem contar que onde os rio passara será dentro de terras de deputador, governadores e senadores, pois como tiveram acesso primeiramente ao projeto, compraram as terras ao redor do trajeto do rio. E também temos que levar em consideração que as águas subterrâneas nessa região não são extintas, ao invés de desmatar a floresta para abrir caminho ai rio, o governo deveria investir na abertura de sistemas, o que resolveria também o problema dos sertanejos.

    Italo Mateus 2° B

    ResponderExcluir
  22. A transposição do Sao Francisco e um assunto muito polemico, pois ao se pensar no projeto foi primeiro pensado em seu proposito , que era o de beneficiar o povo sertanejo. Esse projeto causou muitos transtornos ambientais devastando assim muitas áreas de vegetações . Quando falamos de assunto polemico logo nos lembramos do proposito dessa transposição o que acabou beneficiando aos políticos , pois eles tiveram a informação primeiro que o povo do sertão, e com isso eles
    acabaram se beneficiando comprando assim as terras por onde passaria essa água por preços lastimáveis , e ate mesmo tomaram terras de quem morava naquela Área por onde a água passaria ,deixando assim de beneficiar a quem realmente precisava para beneficiar a si .

    Bruna Linhares De Souza 2B

    ResponderExcluir
  23. Prós e Contras:
    A transposição do rio São Francisco trará uma melhoria no que diz respeito a qualidade de vida nas áreas de seca intensa, não só matando a sede, mas proporcionando formas de desenvolvimento, Entretanto muitas dessas pessoas não vão poder usufruir de tal beneficio, pois muitas das áreas onde a transposição irá passar é de posse de Governantes, ou seja, os verdadeiros beneficiados vão ser os "Barões Brasileiros".
    Opinião:
    Eu sou contra a transposição do São Francisco, não pelo fato de que ele levará água para muitos que vivem numa região seca, mas pelo fato de que o beneficio que foi dado aos que necessitam não chegará de fato a ser utilizada pelos mesmos, afinal como já foi dito anteriormente a transposição passará em áreas de posse dos governantes. Se quisermos que os Sertanejos possam usufruir da água do São Francisco Precisamos exigir que as áreas que cercam o mesmo seja de posse dos Sertanejos, que são os principais percussores da Transposição.

    Murilo Rios 2° Ano A

    ResponderExcluir
  24. A transposição do Rio Francisco é um projeto que visa, teoricamente, a construção de canais com o intuito de irrigar parte da região nordeste e semi-árida do Brasil. É um projeto extremamente polêmico, já que é de alto custo e supostamente só irá beneficiar os grandes fazendeiros já que a maior parte do “percurso” passará por tais regiões.
    Quanto aos aspectos positivos referentes à obra, pode-se citar a geração de empregos, mesmo sendo apenas durante as obras, a possível redução de problemas relacionados à seca e escassez de alimentos, redução de doenças e até mesmo óbitos ligados à contaminação da água ou até mesmo a falta da mesma, já que a região receberá água de melhor qualidade vinda do Rio São Francisco. Ou seja, as possíveis “vantagens” do projeto giram em torno do abastecimento da região para a qual será transposto o rio.
    Quanto aos aspectos negativos, têm-se o impacto ambiental, quanto às espécies aquáticas e também fauna e flora da região, imigração da população que ocupa a área do projeto, prevendo-se a perda da renda e de emprego em tais áreas rurais. Ou seja, a perda do emprego no final da construção pode ser causa de futuros conflitos. A interferência de trabalhadores nas regiões indígenas, o desmatamento dos 430 hectares de terra com flora e fauna local que poderão ser perdidos.

    _______________________________________________

    Eu não sou a favor deste projeto. É possível ver as intenções e corrupções políticas por trás, tanto no que diz respeito ao dinheiro que será aplicado na construção quanto aos beneficiados: fazendeiros, grandes latifundiários, políticos. O que é divulgado para a população, é um benefício para a região, visando a diminuição da seca e um bem para a sociedade local, o que não ocorrerá na realidade, além dos impactos ambientais, que podem ser evitados.

    ResponderExcluir
  25. Aluna: Lettícia Gabriella Santos
    Série: 2° Ano - A

    O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional – MI. Orçado atualmente em R$ 6,8 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil.

    Opinião:
    Eu sou extremamente contra a transposição do Rio São Francisco, um projeto tão grande e caro que não beneficiará muitas pessoas, apenas 0,3% da população do semi-árido brasileiro. Além dos altos custos, esse projeto colocará em risco todo o ecossistema que depende do rio para sobreviver. Mudar o trajeto do São Francisco, tirará a água que um maior número de pessoas utilizam pra se abastecer, e levará essa água pra percorrer por dentro ou perto de grandes fazendas, isso significa que irá tirar água de quem mais precisa para dar pra os grandes latifundiários.

    ResponderExcluir
  26. A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco, no Brasil, nomeado pelo governo brasileiro como "Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional". O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional – MI. Orçado atualmente em R$ 6,8 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados. O principal argumento da polêmica dá-se sobretudo pela destinação do uso da água: os críticos do projeto alegam que a água será retirada de regiões onde a demanda por água para uso humano e dessedentação animal é maior que a demanda na região de destino e que a finalidade última da transposição é disponibilizar água para a agroindústria e a carcinicultura - contudo, apesar da controvérsia, tais finalidades são elencadas como positivas no relatório de Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) em razão da consequente geração de emprego e renda.

    Opinião:
    Eu sou contra a transposição do Rio São Francisco, pois além de ser muito caro, beneficiará uma pequena parte da população do semi-árido. E o canal passará por fazendas de políticos que sabendo aonde o canal passaria, compraram as terras por um preço baixo e com dinheiro público. E temos outras possibilidades de solucionar esse problema, já que águas subterrâneas nessa região não é extinta.

    ResponderExcluir
  27. O projeto de transposição das águas do Rio São Francisco é chamado de “Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional”.Um projeto como este gera muita polemicas como malefícios e benefícios, mais tendo em vista o preço que ira custar para colocar esse projeto em ativa será muito grande em vista do numero de pessoas que ele ira beneficiar, serão cerca de 4,5 bilhões de reais para construir a transposição e ela ira abranger somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido. Sem falar que ela também ira afetar intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Esses projeto de grande porte que envolvem muito dinheiro nunca vão beneficiar apenas pessoas que realmente precisão, por que sempre ira ter pessoas como políticos corruptos que iram embolsar grande parte do dinheiro destinado para tal projeto!

    LUCIANO 2ºB

    ResponderExcluir
  28. A transposição do Rio São Francisco é um projeto que tem como objetivo acabar com a seca na região onde a transposição irá passar só, que existem várias alternativas menos prejudiciais ao meio ambiente que teria a mesma finalidade, sabe-se que a mudança da rota do rio destruiu vários hectares de mata nativa e que há a possibilidade do Rio São Francisco secar na época em que ele está com nível de água baixo. Essa transposição foi uma obra com alto custo de investimento, trouxe graves danos ao meio ambiente e não trará retorno algum a população que mais precisa. Poderiam ter feito poços freáticos que tem como objetivo captar água do lençol freático isso teria um custo bem menor que a transposição e seria bem mais útil para a população necessitada.

    Antônio Victor 2ºA

    ResponderExcluir
  29. Isabella Pimentel , 2° Ano B

    A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco, no Brasil, nomeado pelo governo brasileiro como "Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional". O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional. Orçado atualmente em R$ 6,8 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil.
    Opinião : a ampliação do curso é vista como significativa para os municípios atingidos pela seca. Mas o projeto de transposição é de grande impacto ambiental e alto custo e talvez apenas beneficiara os grandes latifundiários nordestinos pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados.

    ResponderExcluir
  30. Anna Karolina Coité - 2º ano B

    Prós e contras
    Cerca de 12 milhões de pessoas serão beneficiadas com esse projeto, a irrigação das lavouras criará novos empregos e isso beneficiará a economia da região. No entanto, o impacto ambiental será gigantesco, podendo destruir a fauna e a flora. O custo da obra também será muito elevado.

    Opinião
    O governo pode até dizer que a transposição do Rio São Francisco beneficiará as pessoas que vivem na região,levando água para esse sertão. Mas todas as terras onde o rio passará está em posse de grandes fazendeiros e empresários, excluindo o beneficio do rio a quem realmente precisa.
    O impacto ambiental também é outro grande fator negativo dessa obra. O risco de perder a fauna e a flora daquela região é muito grande para se levar água de onde a natureza não colocou. Além de que, o rio precisa de um tratamento de água de uma revitalização.
    Portanto, sou contra a Transposição do Rio São Francisco.

    ResponderExcluir
  31. As sociedades nordestina e mineira se dividem da seguinte forma: de um lado, estão aqueles que argumentam que a transposição das águas seria a salvação para as populações que vivem na região do Sertão Nordestino; do outro, ambientalistas e técnicos que advertem que a transposição será um verdadeiro “tiro no pé”, pois o Velho Chico não suportaria ceder parte do volume de suas águas.
    Existe ainda quem afirma que a obra seria duplamente desastrosa, pois não possibilitaria a melhora nas condições de vida no Sertão e poderia causar sérios problemas ao regime hídrico do Rio São Francisco.
    A quantidade de água desviada do rio seria de 63 m3/s, ou seja, cerca de 3,4% da vazão total no baixo São Francisco. Boa parte desse volume serviria a projetos de agricultura irrigada (principalmente para a produção de frutas para a exportação) e a produção de camarão em açudes. Outra parte seria utilizada para abastecer centros urbanos que hoje consomem boa parte da água disponível na região.
    Entre as alternativas apontadas para a transposição, estão o melhor gerenciamento dos recursos hídricos do semi-árido, o investimento em obras não acabadas, a construção de uma cultura de convivência com a problemática da seca e a busca de alternativas simples e viáveis.
    Essa temática está em discussão no governo federal, e a obra deve ser iniciada o mais breve possível. Esperamos ao menos que criteriosos estudos sobre os impactos ambientais sejam realizados e que as resoluções retiradas deles sejam respeitadas, pensando-se no melhor para essa população, que é castigada pelos longos períodos de seca, e na manutenção do São Francisco, o maior rio totalmente brasileiro.

    Hanna - 2ºB

    ResponderExcluir
  32. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  33. A transposição do rio São Francisco é de interesse econômico e social, visando a melhora do solo nordestino já que o mesmo por sua vez apresenta-se rico em nutrientes, mas pobre em umidade, tal transposição irá dar a possibilidade de muitas famílias nordestinas começarem um plantio que de inicio seria considerado sustentável, mas por outro lado, esse desvio provocaria um impacto ambiental enorme, já que além de desmatar uma enorme área de mata nativa, destruiria o habitat de muitos seres vivos que talvez nem tenham sido catalogados já que a região apresenta uma grande riqueza natural.

    Iago Leite 2ºB

    ResponderExcluir
  34. A transposição do Rio São Francisco é um tema bastante complicado na minha opinião, pois engloba a suposta tentativa de solucionar um problema que há muito afeta as populações do semi-árido brasileiro, a seca; e, ao mesmo tempo, trata-se de um projeto delicado do ponto de vista ambiental, pois irá afetar um dos rios mais importantes do Brasil, tanto pela sua extensão e importância na manutenção da biodiversidade, quanto pela sua utilização em transportes e abastecimento. O projeto de transposição do São Francisco surgiu com o argumento de "sanar" a deficiência hídrica na região do Semi-Árido através da transferência de água do rio para abastecimento de açudes e rios menores na região nordeste, diminuindo a seca no período de estiagem. Além de a transposição do rio não ser capaz de suprir a necessidade da população da região uma vez que o problema não seria o hídrico que não existe, o problema seria a má administração dos recursos existentes.

    Vitória Aguiar 2° B

    ResponderExcluir
  35. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Os contras é que governo diz que 12 milhões de pessoas serão beneficiadas com a transposição mas a verdade é que a penas os grandes produtores serão beneficiados, serão desmatados 430 hectares e poderá se acabar alguns afluentes. Os prós é que cerca de 1% de água será usada nesta transposição, lugares deixarão de ter a seca, ira gerar mais emprego e renda.

    Kamilla Abdallah 2ºB

    ResponderExcluir
  36. Meio ambiente
    O rio sofre degradação ambiental há 500 anos e a água está poluída em diversos trechos.
    A defesa: Os pontos de captação foram avaliados e têm água de excelente qualidade. Para o Ibama, os benefícios do empreendimento superam os impactos negativos na natureza. Além disso, está trabalhando na revitalização dos trechos poluídos.
    A crítica: Águas poluídas serão levadas aos açudes. Além disso, há risco de salinização e erosão dos rios receptores e também de interferência nos ecossistemas aquáticos e terrestres.
    Agua existente
    A maioria dos açudes da região é subutilizada porque a população teme a escassez nos períodos de seca. A água parada faz com que a evaporação seja maior. Outros, que abastecem cidades de médio porte (como Campina Grande), estão trabalhando acima do limite que garante a oferta constante de água.
    A defesa: Os açudes ficarão sempre cheios atendendo à demanda e acabando com o medo.
    A crítica: Usada de forma correta, a quantidade de água de todos os açudes atenderia à demanda na região até 2012.
    Uso da agua
    Cerca de 80% das águas da região vão para a agricultura – e não para o consumo humano, como diz a lei.
    A defesa: Só a água excedente – que sobrar após o abastecimento humano e de animais – será aplicada na irrigação, agricultura ou indústria.
    A crítica: Como o uso comercial da água dá mais retorno financeiro, a situação atual não deve mudar. Pequenas localidades, em situação crítica, correm o risco de continuar sem água, já que têm pouco dinheiro e poder político.
    Agua nas cidades
    O projeto vai viabilizar o fornecimento constante de água bruta (sem tratamento). Os estados serão responsáveis pelo tratamento e distribuição.
    A defesa: Os estados se comprometeram a pagar pelo fornecimento de água às cidades. Até 2025, 12 milhões de pessoas em 390 municípios de 4 estados estarão sendo beneficiadas.
    A crítica: Os governos estaduais não têm um planejamento real de como será o tratamento e o transporte da água.
    Custos
    Fato: Fazer a transposição e manter a estrutura funcionando têm custos altos. Isso encarecerá a água para o consumidor.
    A defesa: O custo final da água será R$ 0,13 por 1000 litros (m3). Isso significa um aumento de 5% a 7% na conta (o que seria pouco, comparado ao que se paga hoje nos períodos de seca, quando o preço do m3 no carro-pipa chega a 7 reais).
    A crítica: O aumento na conta será maior do que o previsto – pode chegar a US$ 0,30 por m3. Também há risco de inadimplência, já que boa parte da população da região vive na miséria.

    Matheus Barbosa 2° A

    ResponderExcluir
  37. O projeto de transposição do Rio São Francisco é um tema bastante polêmico, pois engloba a suposta tentativa de solucionar um problema que há muito afeta as populações do semi-árido brasileiro, a seca; e, ao mesmo tempo, trata-se de um projeto delicado do ponto de vista ambiental, pois irá afetar um dos rios mais importantes do Brasil, tanto pela sua extensão e importância na manutenção da biodiversidade, quanto pela sua utilização em transportes e abastecimento.
    Em segundo lugar, o Rio São Francisco não irá suportar mais esta retirada de água, no volume pretendido - 50 a 60 metros cúbicos por segundo -, sem que haja conseqüências negativas na geração de energia elétrica no complexo de Paulo Afonso. O Rio São Francisco, que teve prioridade inicial de geração e irrigação, corre inteiramente no Semi-árido sobre uma geologia cristalina, na qual seus afluentes têm caráter temporário. Este aspecto, por resultar numa constante diminuição de sua vazão ao longo do tempo, obrigou a CHESF a construir a represa de Sobradinho para manter a sua vazão em patamares seguros ao processo de geração. Ocorre que a represa de Sobradinho tem operado em regimes críticos - em janeiro de 98 ela apresentava um volume útil de geração de apenas 13% - nos levando a acreditar que praticamente o rio voltava a correr no seu leito como antes de ser represado. Não vamos ter água suficiente para gerar energia elétrica, irrigar e abastecer as cidades. A transposição vai passar em muitas fazendas de governadores e não vai ajudar plenamente as pessoas que precisam.

    Alexandre Figueredo da Silva 2º A

    ResponderExcluir
  38. Transpor é solução?
    Sem a água do Velho Chico, a esperança é a última que seca.

    De acordo com o Ibama, o Projeto de Transposição do São Francisco é uma das obras mais complexas já licenciadas pelo órgão e o processo iniciou-se em 1994. O Projeto encontrou um movimento de oposição, assinado por especialistas (geógrafos, geólogos, engenheiros, ambientalistas) que criticam sua efetivação. Tais profissionais e várias entidades civis consideram os riscos previsíveis e as consequências incalculáveis do Projeto, argumentando sobre o seu alto custo ambiental e de exclusão de grande parte da população e que seria prejudicial ao Nordeste e ao Brasil. Segundo os argumentos contrários à efetivação da obra, o que se impõe é a revitalização da bacia, sem condicioná-la a transposição. Tal revitalização prioriza a adoção de cuidads na gestão das águas e dos ecossistemas, a adequação técnica dos usos e formas de ocupação do solo ao ciclo hidrológico. Em um quadro de forte estiagem, em que os colapsos no fornecimento de água e na produção de energia elétrica parecem inevitáveis, a idéia de levar parte do São Francisco para o semi-árido parece loucura. Muitos falam que seria o equivalente a fazer com que um moribundo doasse sangue. Prevêem que, caso isso aconteça, será a morte do rio. Por outro lado, milhares de famílias estão enfrentando uma situação insustentável. Se não forem adotadas medidas urgentes, é provável que ocorra uma catástrofe nos próximos anos. E, se as iniciativas forem paliativas, vão durar apenas até a próxima seca.

    VERDEJANTE, IRONIA PERNAMBUCANA:

    "É para ajudar a criar galinhas, não é?" Damião Sebastião dos Santos já ouviu falar do projeto de transposição, mas não sabe ao certo o que essa palavra difícil significa. Ele e mais 60 pessoas, na maioria parentes, moram em um terreno de 2 hectares próximo ao povoado de Riachinho, a 14 quilômetros do município de Verdejante, em Pernambuco.

    Marillia Bastos 2ºA

    ResponderExcluir
  39. A transposição do Rio São Francisco. Consiste em estender a circulação do "Velho Chico" (cujo leito está, maior parte, em Minas Gerais, Pernambuco e Bahia) também para os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba e Ceará, além de áreas semi-áridas de Alagoas, Pernambuco e Sergipe. Abastecida pelo rio, a região do Polígono da Seca teria água suficiente para a agricultura e o consumo individual.

    A mais recente versão dessa idéia é o projeto de Interligação da Bacia do São Francisco com as Bacias do Nordeste Setentrional, que integra o Programa de Desenvolvimento Sustentável do Semi-Árido e da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, comandado pelo Ministério da Integração Nacional. Orçado em R$ 4,2 bilhões, o projeto prevê a construção de aproximadamente 700 km de canais e reservatórios, divididos em dois eixos, que abasteceriam o Polígono, aliviando os efeitos da estiagem. O Exército já se prontificou a ajudar, e o governo se prepara para iniciar as obras.
    A proposta da Transposição do Rio São francisco, veio como uma falsa ajuda, afinal, o trecho que o Rio São francisco irá passar é de posse de grandes deputados e senadores e grandes donos de terras, sendo assim a ideia de levar água para os que mais necessitam fica apenas no papel, pois na pratica é muito diferente, devemos lembrar que a mortalidade infantil da região onde o Rio São francisco vai passar é duas vezes maior do que no Sul e Sudeste, e mesmo assim muitos se preocupam apenas em encher de capital seus cofres.
    Andressa Gnoato 2°Ano B

    ResponderExcluir
  40. - o Rio São Francisco está sofrendo muita degradação e com a sua transposição, muita água seria perdida, se evaporaria durante o trajeto;
    - a energia elétrica ficaria mais cara por causa do grande custo da transposição;
    - a pesca seria prejudicada, pois a reprodução dos peixes seria dificultada;
    - a água não chegaria aos mais necessitados, mas sim aos grandes fazendeiros, como tem sido até hoje com todos os projetos no nordeste;
    - há outras alternativas mais baratas e viáveis, como o uso de cisternas, aproveitando a água das chuvas;
    - o problema do nordeste não é a falta de chuva, mas sim a má gestão dos recursos hídricos. Falta planejamento de uso. A transposição não vai resolver, é preciso investir em sistemas de gestão de recursos hídricos, como comitês de bacia. Mas não há interesse em resolver a questão da seca, pois o nordeste é um dos colégios eleitorais mais importantes e promessas e ações com resultados a curto prazo dão votos.
    - os impactos ecológicos seriam enormes, pois se mudaria todo o curso do rio, afetando todo o equilíbroio ecológico;
    - há risco de salinização, pois a água "jogada no mar" é que garante o equilíbrio entre a água doce e a salgada, impedindo que o mar avance. Se essa água for desviada, o equilíbrio pode ser alterado.
    Há diversas discussões entre os cientistas quanto aos aspectos técnicos e diversas discussões sócio-políticas entre os movimentos sociais. Eu, particularmente, acredito que não é assim que vai se resolver a seca e, aliás, pode-se até piorar a situação, por causa da perda de água pelo processo.

    2° ano B

    ResponderExcluir
  41. Sou contra pelo fato de haver muita falcatrua mdurante o processo de venda de terra pelo fato de politicos terem acesso ao percursso feito pelo rio durante a transposição se beneficiando individualmente de uma obra que deveria beneficiar a populção menos favorecida. A trasposição tambem pode acarretar desequilibrio ecologico e redução da vasão do rio, podendo ate mesmo acabar completamente com o rio.
    Max Evandro2º B

    ResponderExcluir
  42. Os movimentos sociais argumentam que os maiores beneficiados serão os grandes produtores e empresas ligadas a grandes projetos. Os pequenos agricultores perderão recursos. Os ecologistas questionam o projeto que causará danos a fauna e flora regional. Já os idealizadores dizem que 12 milhões de pessoas serão beneficiadas e que a irrigação de pólos agrícolas aumentará o número de empregos. Dizem também que o projeto prevê a revitalização das margens do Rio São Francisco e que o tratamento pode diminuir a poluição da água.
    Sou contra a Tranposição do Rio São Francisco, já que o impacto ambiental e o risco de perder a fauna e flora desse local é gigantesco.

    2º ano B

    ResponderExcluir
  43. O projeto da transposição do rio São Francisco a principio é bom porque levaria água a regiões secas mas as pessoas que mais precisam dessa água não terão acesso a ela pois ela já é de posse de corruptos e as pessoas necessitadas que vivem nessa região seca morreram de sede devido a esse acontecimento.
    Max Richard Lopes Porfírio
    2º ano A

    ResponderExcluir
  44. Comentário: Há muito tempo vem se comentando sobre esse assunto, a transposição vai mudar a vida de muita gente. Quem mora onde o rio vai começar a passar já perdeu suas casas e a maioria não tem onde viver de modo confortável e seguro, além de destruir a vegetação que existe lá e matar muitos animais. Mas essa área sofre com uma seca muito forte e com a passagem do rio por lá pode melhorar a situação. Apesar de toda a melhora que vai proporcionar as autoridades tem que pensar vão matar muitos animais e vegetais além de destruir os lares de muitas famílias.

    ResponderExcluir
  45. Comentário: Há muito tempo vem se comentando sobre esse assunto, a transposição vai mudar a vida de muita gente. Quem mora onde o rio vai começar a passar já perdeu suas casas e a maioria não tem onde viver de modo confortável e seguro, além de destruir a vegetação que existe lá e matar muitos animais. Mas essa área sofre com uma seca muito forte e com a passagem do rio por lá pode melhorar a situação. Apesar de toda a melhora que vai proporcionar as autoridades tem que pensar vão matar muitos animais e vegetais além de destruir os lares de muitas famílias.
    Suzana 2º B

    ResponderExcluir
  46. Aluna: Gabriella Freire - 2º A

    A grosso modo, ­o projeto de transposição do São Francisco é a mudança de parte do curso do rio para uma área com problemas endêmicos de seca. Segundo o governo federal, o Projeto de Integração do Rio São Francisco, nome oficial da transposição, prevê a distribuição de água para cerca de 390 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte até 2025.

    A transposição pretende retirar 26,4 metros cúbicos por segundo, o que equivale 1,4% da vazão da barragem de Sobradinho que é de 1850 metros cúbicos por segundo. Se o reservatório de Sobradinho verter água, essa vazão pode chegar 63 metros cúbicos por segundo.
    Essa água será dividida em dois eixos principais - o Leste e o Norte. O primeiro ficará com a vazão de 10 metros cúbicos por segundo e o segundo com 16 metros cúbicos por segundo. A idéia é abastecer grandes açudes já existentes que servem cidades como Castanhão (CE) ou Epitácio Pessoa (PB), perenizar áreas de rios intermitentes como o Apodi, no Rio Grande do Norte, e servir para ajudar na irrigação de plantações em áreas próximas ao Vale do São Francisco.

    OPINIÃO : Sou contra a transposição do rio São Francisco , e meu posicionamento é embasado no que á por trás desse projeto , que nem sempre é passado para a população. Na realidade os maiores beneficiadores serão os grandes produtores e empresas ligadas a grandes projetos, pois as águas irão passar em meio a terra de pessoas com alto poder aquisitivo , e os pequenos agricultores poderão acabar perdendo recurso. Sem falar nos danos ambientais que são enormes , sendo assim defendo alternativas mais baratas e sem tanto impacto para melhorar a vida das pessoas que estão em meio a seca, que não seja a transposição .

    ResponderExcluir
  47. O Projeto de Transposição do Rio São Francisco não é uma idéia nova. O plano básico é construir dois imensos canais ligando o rio São Francisco a bacias hidrográficas menores do Nordeste, bem como aos seus açudes. A seguir, seriam construídas adutoras, com o objetivo de efetivar a distribuição da água.

    De acordo com o governo federal, o projeto seria a solução para o grave problema da seca no Nordeste, pois distribuiria água a 390 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte - uma população de 12 milhões de nordestinos. O prazo para realização do projeto é de 20 anos, a um custo total estimado, até meados de 2009, em R$ 4,5 bilhões.

    A transposição, contudo, tem sido criticada por ambientalistas e representantes de outros setores da sociedade, incluindo a Igreja Católica. A resposta do governo é de que o número de empregos criados, direta e indiretamente, graças ao projeto, bem como a solução do problema da seca derrubam toda e qualquer crítica.

    Além da interligação das bacias, o governo também pretende executar um projeto de recuperação do rio São Francisco e de seus afluentes, pois vários desses rios sofrem problemas de assoreamento, decorrentes do desmatamento para agricultura.
    Minha opinião:
    Ao se lançar um projeto grandioso coma a transposição do rio são Francisco são gerados e avaliados prós e contras, levando em consideração desde recursos utilizados, ONGs, pessoas beneficiadas e impacto ambiental! Acredita-se que a transposição do rio são Francisco seja um projeto que possa trazer melhorias para regiões, que são impedidas de se desenvolver por falta de água, então um dos aspectos positivo seria isso, porém a grande discussão é que o país teria que fazer um grande investimento, o que não valeria a pena, sendo indiscutivelmente ruim para a economia do país! Porém prevê-se que com o desenvolvimento das regiões beneficiadas, geraria um lucro que recompensaria o investimento, mais como esse projeto ainda não foi concluído não a como se chegar a nenhuma conclusão precisa!

    Carolina Freitas.

    ResponderExcluir
  48. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  49. PESQUISA
    A transposição do rio São Francisco se refere ao polêmico e antigo projeto de transposição de parte das águas do rio São Francisco, no Brasil, nomeado pelo governo brasileiro como "Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional". O projeto é um empreendimento do Governo Federal, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional – MI. Orçado atualmente em R$ 6,8 bilhões, que prevê a construção de dois canais que totalizam 700 quilômetros de extensão. Tal projeto, teoricamente, irrigará a região nordeste e semi-árida do Brasil. A polêmica criada por esse projeto tem como base o fato de ser uma obra cara e que abrange somente 5% do território e 0,3% da população do semi-árido brasileiro e também que se a transposição for concretizada afetará intensamente o ecossistema ao redor de todo o rio São Francisco. Há também o argumento de que essa transposição só vai ajudar os grandes latifundiários nordestinos, pois grande parte do projeto passa por grandes fazendas e os problemas nordestinos não serão solucionados . O principal argumento da polêmica dá-se, sobretudo pela destinação do uso da água: os críticos do projeto alegam que a água será retirada de regiões onde a demanda por água para uso humano e dessedentação animal é maior que a demanda na região de destino e que a finalidade última da transposição é disponibilizar água para a agroindústria e a carcinicultura - contudo, apesar da controvérsia, tais finalidades são elencadas como positivas no relatório de Relatório de Impacto Ambiental (RIMA) em razão da conseqüente geração de emprego e renda.

    OPINIÃO
    (Minha opinião é um tanto confusa, no entanto tentarei explicá-la de forma clara...) Com relação à transposição do Rio São Francisco, eu sou a favor. A chegada da água no sertão, mesmo que com suas contradições, abastecerá uma parte população que vive na seca, que como nós, necessitam de água, porem não tem acesso a ela (tendo que percorrer vários quilômetros, por apenas um pouco de água), tornando assim, a vida deles muito mais difícil (pense como seria nossas vidas sem água, nem para beber... é o caso deles, onde a seca castiga), mesmo que gaste muito, é mais vantajoso que esse dinheiro seja gasto para beneficiar a população sofredora, do que ficar na mão de políticos corruptos; e a natureza ?? - que o governo tome o máximo de cuidados possíveis quanto a ela, para que nenhuma espécie (fauna e flora) entre em extinção, e que futuramente faça um reflorestamento da área desmatada em outro local. E se assim for feito, o impacto de uma obra que será a solução de um grave problema (escassez de água), não será tão grande.

    ResponderExcluir
  50. A transposição do rio São Francisco, é um projeto antigo e muito polêmico. Um projeto em que se mudaria o curso de cerca de 2% do volume das águas do rio São Francisco que iriam desaguar no mar para bacias hidrográficas das regiões do semiárido nordestino.

    Esse projeto têm grande importância para toda a região nordestina. Áreas em que as secas são frequentes e abundantes, e a população é de baixa renda, passaria a ser banhada pelas águas do São Francisco, porém, isso não está acontecendo. Políticos e pessoas de maior poder aquisitivo tiveram de alguma forma acesso ao projeto primeiro que o resto da população, assim, sabendo as áreas que o rio passaria, ou ficaria perto, compraram em grandes quantidades e a preços mínimos.

    José Luiz Fernandes.
    2º ano B.

    ResponderExcluir
  51. A transposição do rio São Francisco tem seus prós e contras que são:
    “Os prós para realizar a transposição é que de alguma forma essa água chegará a população do Nordeste brasileiro, trazendo assim grandes benefícios para os mesmos. Porém, os contras da transposição é o fato de que alem de estar causando um imenso impacto ambiental, ela está beneficiando e dando lucros para os políticos, devido a realização do projeto está sendo feita para passar pelas fazendas dos mesmos. “
    Eu sou contra a transposição do Rio São Francisco, pois o projeto não é apenas visando a melhoria da distribuição de água no Nordeste e sim á distribuição de verba aos políticos. Porque tem como conseguir fornecer água de outra maneira como com os lençóis freáticos. E o rio, com a transposição vai perder volume e vai mexer na natureza, coisa que não se deve fazer.
    Rafaela Coité 2º ano A

    ResponderExcluir
  52. Bruno Toniazzo - 2° B
    A transposição do Rio São Francisco tem como justificativa a melhor distribuição de água para as regiões do nordeste afetadas pela seca. Justificativa questionável, pois existem outros meios de se fazer isso, além do mais essa solução não incluiria todas as regiões que sofrem com a seca. Na verdade a transposição estaria beneficiando os grandes produtores e agricultores. Além de ser uma obra de custo alto, e dos problemas ambientais que ela pode trazer.
    Acredito que esse dinheiro poderia ser investido na construção de cisternas e que a distribuição de água seja monitorada em todas as regiões do nordeste beneficiando então milhares de famílias que realmente necessitam.

    ResponderExcluir
  53. Transposição do Rio São Francisco
    A transposição do Rio São Francisco e uma grande obra crada pelo governo federal, que se em vista de que esse projeto pode acabar com a seca de algumas regiões ela seria de estrema importância.
    Vendo por outro lado na verdade a transposição estaria beneficiando grandes produtores, ou pessoas de influencia na politica, além de ter um alto custo e pode causar problemas ambientais.
    Acredito que o Governo poderia ter uma ideais melhor mais barata e sustentável, assim podendo beneficiar aquelas famílias que realmente necessitam dessa ajuda.
    Daniel Donadel 2º A

    ResponderExcluir
  54. Por um lado a transposição do Rio São Francisco seria uma boa ideia, pois levaria agua para asa regiões secas, mas infelizmente as pessoas que mais precisam de agua não irão poder tê-las pois essa agua já é de posse de pessoas corruptas, e assim as pessoas que mais precisam dessa agua irão passar por diversas dificuldades devido a esses tipos de acontecimento.
    Danielly Lorrany 2º ano A

    ResponderExcluir
  55. Como já comentado, a transposição beneficia mais quem não precisa e isso é um pretexto para a criação de currais eleitorais. Com a "posse das águas" nas mão dos políticos, estes a usará para obter votos da população sertaneja.
    Beneficia também os grandes produtores rurais, isso acarretaria o aumento da desigualdade social e contribuiria para um índice alarmante no Brasil: A má distribuição de renda.
    Sem contar nos desastres ambientais: extinção de espécies, interferências na piracema, etc...
    Antes de qualquer grande obra o essêncial seria a revitalização do "Velho Chico".

    2ºB

    ResponderExcluir
  56. Prós e Contra
    Temos como prós da tranposição do Rio São Franscisco o fato de que realmente, de um modo ou de outro, a água chegará as sub-regiões do Nordeste brasileiro, ajudando a população mais podre da região que lida com a seca permanente;
    Porém temos como contra o fato de que a transposição,”por debaixos dos panos”, está sendo realizada para beneficiar, e trazer lucros para os politicos, pois o trajeto do rio passará pelas fazendas dos próprios politicos. Sem falar no imenso impacto ambiental que está sendo causado com a Transposição do Rio, mudando assim o curso natural do rio.

    Opinião
    Como opinião, tenho a idéia de que, verdadeiramente a transposição não seria necessária, podendo assim, obter a água para a população nordestina através dos lençóis freáticos, existente na região. Assim ajudando de uma forma mais fácil e menos agressiva a natureza a população das regiões do Nordeste.
    Felipe Vieira 2º ano A

    ResponderExcluir
  57. O projeto de transposição é, quando posto em prática exclusivamente ilusório. É esperado que este venha à tona como uma tentativa de aniquilar o problema da seca, beneficiando o pobre sertanejo.
    Entretanto quando é posto em prática, além de beneficiar unicamente os partidos de poder (latifundiários), levantará impactos ambientais irreversíveis, como a devastação da área florestada para o escoamento do rio.
    Elizabeth 2º ano A

    ResponderExcluir
  58. A transposição do rio São Francisco é uma obra muito inteligente e de grande importância para o sertão do nordeste, mas isso tudo só no papel. As obras passaram apenas por propriedades privadas, grandes fazendas, que são de políticos por sinal. Com isso essa obra de natureza tão boa não chegara nas áreas onde ha o povo que mais precisa.

    ResponderExcluir
  59. o “Projeto de Integração do Rio São Francisco com Bacias Hidrográficas do Nordeste Setentrional”, sob responsabilidade do Ministério da Integração Nacional. Com um custo de quase R$ 7 bilhões, a obra consiste na construção de dois canais principais (Eixos Norte e Leste) somando aproximadamente 700 km de extensão visando a irrigação no semi-árido nordestino. A polêmica é reforçada de várias maneiras por, entre outros, tratar-se de uma obra cara que abrange uma pequena parte do território brasileiro e que vai beneficiar a poucas pessoas do semi-árido. Muitos reclamam dos benefícios que latifundiários virão a ter com o desvio da água passando por suas terras, sendo usada na agroindústria e deixando para trás o principal: o consumo humano de quem realmente necessita. Além do problema do desequilíbrio ecológico em torno da Bacia do São Francisco.


    Sou contra a Transposição do Rio São Francisco, pois se estão realizando o projeto no intuito de "trazer uma melhoria na vida do povo nordestino" por conta da seca, eles poderiam fazer isso através da retirada da água dos lençóis freáticos, ao invés de está causando tamanho impacto. Mas na verdade o verdadeira intuito é beneficiar os políticos, fazendo com que as águas passem por suas fazendas, ajudando assim no faturamento lucrativo. Por conta desses fatos mostro aqui a minha posição contraria a transposição.

    ResponderExcluir
  60. Prós e contras:
    NO PAPEL:levar água potável para o sertao,melhorar a qualidade de vida da populacao que vive no semi-árido que sofre com o problema da seca,mas na verdade as terras que estao nas encostas de onde passará o rio,pertence hoje a deputados e senadores que compraram a preco de "banana" e assim tirar proveito dessa obra.Mas nesta obra além de desviar o curso de um rio irá mexer nao apenas em setores ambientais,mas em cultura e economia de cidades e povoados que dependem de atividades como pesca e navegacao.
    Opiniao:
    Sou contra a obra de transposicao apenas,deveria pelo menos revitalizar sua bacia ,mas como nao há boas intencoes nesta obra,se o governo revitalizar o rio,sou a favor,mas nesta obra só haverá a transposicao poderá colocar a vida do "Velho Chico" estará em risco.
    Matheus Costa de Almeida
    2ºB

    ResponderExcluir
  61. Prós: A água chegará realmente em localidades que estão sob o domínio do semi árido, onde se predomina o clima semi-úmido, que acarreta seca prolongada ao longo do ano. Isso viria como um benefício, pois irá ajudar os ribeirinhos em suas atividades, que dependem mesmo do uso da água. E será utilizado apenas 2% da água que ia seguir seu percurso para desaguar no mar.
    Contras: Acontece que as populações que antes iam ser beneficiadas não estão mais nessas localidades, pois os políticos que tiveram primeiro o acesso ao projeto compraram essas terras. Como na realidade não irá beneficiar uma população necessitada e sim enormes latifúndios de políticos mafiosos que vão ganhar em cima do projeto.
    Mônica Silva 2º ano B

    ResponderExcluir
  62. Com as informações do IBAMA, o projeto de Transposição do São Francisco é uma das obras mais complexas já licenciadas pelo órgão e o processo iniciou-se em 1994.
    Tais profissionais e varias entidades civis consideram os riscos previsíveis as conseqüências do Projeto, argumentando sobre o seu alto custo ambiental e de exclusão de grande parte da população que seria prejudicada.
    Este projeto é bom pois levara água para varias regiões e pessoas, que mais precisa de água por conta da seca.
    Aluno: Jorge Luis da silva Alves Junior
    Serie: 2ºano A

    ResponderExcluir
  63. Transposição do rio são Francisco é uma das obras mais debatidas e que despertou maiores criticas da população brasileira nos últimos anos, o projeto além de muito caro é uma pauta para debate.
    O projeto prevê a construção de 700 km que passaram na maior parte por grandes fazendas e só atende a 5% da população uma obra desse porte para uma pequena parte da população que na maioria são latifundiários nos deixa meio com receio. Até porque a obra não é a melhor opção para o eco sistema do rio.
    Como toda obra de grande porte tem algum interesse dos nossos governantes, cabe saber qual seria o da transposição. O rio são Francisco precisa de um reflorestamento pois a capacidade de vazão do rio caiu muito e de uma maneira que quando chega o tempo de seca algumas partes que antes eram transitáveis só com embarcações, hoje podemos caminhar.
    Não sabe-se o rio agüentara, mas a obra esta sendo realizada, só deu uma diminuída no ritmo por causa da crise mundial.
    Jéssica Segatto 2º ano A

    ResponderExcluir