domingo, 16 de outubro de 2011

2º Ano A e B (3ª Etapa)

3ª Etapa

Desenvolvimento do Oeste da Bahia




A região Oeste da Bahia é uma das que mais crescem economicamente em
função da exploração agropecuária e agroindustrial, cuja intensificação se deu
na década de 80 e vem registrando taxas acima das contabilizadas pelo país.
desde o início dos anos 1990. Um dos grandes sustentáculos desse
desenvolvimento tem sido o agronegócio, em especial o segmento produtor de
grãos, notabilizando-se a Região Oeste do Estado.
O Oeste da Bahia, até a década de 1970, caracterizava-se por um modelo de
agricultura de subsistência baseado nas culturas de milho, feijão e arroz, ao
lado de uma pecuária extensiva. A partir da década de 80, com a implantação e
expansão da sojicultura, a região ganha uma nova dinâmica de
desenvolvimento, inserindo-se de forma progressiva e competitiva na estrutura
produtiva estadual e nacional, notabilizando-se como principal área produtora
de grãos do Nordeste brasileiro, com a consolidação não só da cultura da soja,
como do milho, do arroz, do feijão e, mais recentemente do algodão e do café
de qualidade.
A expansão da agricultura no Oeste baiano deveu-se a uma série de fatores
naturais – condições edafoclimáticas favoráveis – e a recursos tecnológicos
modernos – avanço dos sistemas de irrigação, mecanização das lavouras e
utilização de sementes desenvolvidas especificamente para as condições do
cerrado e, principalmente a um arrojado programa de infra-estrutura viária,
adequado.

Observe as imagens abaixo:


Pesquise mais sobre a o assunto. Cite aspectos positivos e negativos desse desenvolvimento e de sua opinião sobre sobre esse desenvolvimento.

57 comentários:

  1. O oeste da Bahia é uma região do Brasil que vem crescendo muito rapidamente, vem trazendo grandes novidades no que des respeito ao agronegócio; o plantio de várias culturas está aumentando cada vez mais a economia desta área.
    Por este motivo surge algumas discurssões sobre a criação de um novo estado(Estado do Rio São Francisco), que se desligaria de sua atual capital(Salvador) e se fincaria na cidade de Barreiras.
    Mas temos que ter consciência de que não estamos preparados para esta criação, não temos infra-estrutura adequada, e além disto nossos representates se apresentam sem condições de levarem a frente um projeto como este. Resta-nos esperar e ver no que vai dar, daqui a algum tempo quem sabe teriamos condições de discutir este assunto.

    ResponderExcluir
  2. O oeste da Bahia é uma região do Brasil que vem crescendo muito rapidamente, vem trazendo grandes novidades no que des respeito ao agronegócio; o plantio de várias culturas está aumentando cada vez mais a economia desta área.
    Por este motivo surge algumas discurssões sobre a criação de um novo estado(Estado do Rio São Francisco), que se desligaria de sua atual capital(Salvador) e se fincaria na cidade de Barreiras.
    Mas temos que ter consciência de que não estamos preparados para esta criação, não temos infra-estrutura adequada, e além disto nossos representates se apresentam sem condições de levarem a frente um projeto como este. Resta-nos esperar e ver no que vai dar, daqui a algum tempo quem sabe teriamos condições de discutir este assunto.

    Luis Damazio 2ºA

    ResponderExcluir
  3. O oete da Bahia vem crescendo,decorrente da produção de grãos que traz cada vez mais investidores e lucro para a área.Assim,o oeste baiano fica valorizado e abrangindo cada vez em exportações.
    Judson 2°B

    ResponderExcluir
  4. O Oeste da Bahia, região compreendida entre os municípios de Formosa do Rio Preto, ao norte na divisa com o estado do Piauí, e Cocos, ao sul na divisa com o estado de Goiás, representa uma importante fronteira agrícola do País. Considerando as formações de Cerrado e transição com outros ecossistemas a região ocupa aproximadamente 9,6 milhões de hectares, sendo que a área destinada ao desenvolvimento da agropecuária corresponde atualmente a mais de 2 milhões de hectares.
    Soja e algodão são os dois principais produtos agrícolas, sendo que somente no período de 1998 a 2003 houve um aumento em 56% da produção de algodão na região. De acordo com dados do IBGE, no Oeste baiano estão concentrados 92% de toda a produção de grãos e alguns estudos estimam que a região possua um grande potencial para expansão, especialmente quando se considera a extensão de áreas disponíveis e as condições climáticas e edáficas propícias.Aspectos positivos que está trazendo desenvolvimento pra essa região que é esquecida pelos governos estaduais e deputados, os aspectos negativos [e que se dividir o estado não temos estrutura pra manter um estado e não tem um poder que possa controlar o estado do são francisco
    Alexandre Figueredo da Silva 2ªA

    ResponderExcluir
  5. Esse rápido crescimento foi legal para a região que vez com que as cidades se desenvolvessem bastante, a migração para essa região também foi intensa, principalmente pelos povos da região sul brasileira, que compraram a maioria das terras da região, mas o problema é que para esse crescimento desordenado e exagerado não vieram também políticos capazes de acompanha-lo e conseguir fazer com que as principais cidades acompanhassem esse crescimento em questão de infra-estrutura.
    Opinião:
    Essa região também tem outro problema, por ser distante do centro governamental do estado, muitas vezes fica esquecida, tanto que que já existe o projeto de se tornar um estado independente toda a região oeste baiana, no meu ponto de vista os governantes deveriam dar uma atenção a mais a essa região, por ser um centro agroexportador nacional e que gera tanto dinheiro para a economia nacional, é vergonhoso você tem uma região tão rica e uma cidade como barreiras sem esgotamento, asfaltamento, precariedade na saúde e principalmente na educação.

    Italo Mateus 2° B

    ResponderExcluir
  6. O Oeste bahiano vem crescendo a cada dia com seus produtos ( graos...) .
    Um dos aspectos negativo disso tudo e que eles exportam esse produto ,nao favorecendo a regiao do plantio ( alimentos mais baratos).
    Um dos aspectos positivo e que esses produtos agricolas vem crescendo a cada dia , e com isso vem trazendo novas tecnologias favorecendo aos donos de lavouras e depois disso gerando emprego.
    Opiniao:
    A regiao sera mais conhecida por seu produtos agricolas, com isso mais gente querendo investir nessas pessoas , ou querendo comprar mais o seu produto .

    Bruna Linhares 2B

    ResponderExcluir
  7. Aluna: Letticia Gabriella Santos
    Série: 2° Ano - A

    Região Oeste da Bahia é uma das que mais crescem economicamente em função da exploração agropecuária e agroindustrial, cuja intensificação se deu na década de 80 e vem registrando taxas acima das contabilizadas pelo país.

    Opinião:
    Esse desenvolvimento crescente do oeste da Bahia valoriza mais e mais essa nossa região. A grande produção de grãos está ajudando a levar essa parte da Bahia a sua independência, o projeto da criação do estado São Francisco. O único problema é que ainda não podemos confiar totalmente nos nossos atuais governantes, e para esse estado ser realmente bom, é preciso muito empenho deles. Se tudo caminhasse bem, o oeste da Bahia se destacará ainda mais, e assim a população dessa parte só teria benefícios.

    ResponderExcluir
  8. A região do Oeste Baiano é uma das sete mesorregiões do estado brasileiro da Bahia. É formada pela união de 24 municípios agrupados em três microrregiões. O Oeste Baiano graças à privilegiada bacia hidrográfica, à topografia plana e ao clima com estações definidas, foi possível a expansão das lavouras de sequeiro e a implantação dos projetos de irrigação, sendo hoje uma região com altíssimo nível de produção de grãos, como soja e algodão. Com esse desenvolvimento graças à agricultura, a região melhorou muito economicamente, socialmente e outros aspectos. Porém esse desenvolvimento também trouxe pontos negativos, como um acelerado aumento populacional desordenado nas cidades pólo do Oeste por causa de imigrações, e aumento da violência urbana. Um ponto também com esse crescimento, foi à proposta de se criar um novo estado, separando da Bahia, e criando o estado do são Francisco. Porém vários pontos ainda precisa ser bem analisados, pois será que a agricultura sempre se manterá em boas produções para “manter” um estado, e também se politicamente isso e possível.
    Stanley,2°ano A

    ResponderExcluir
  9. Aluna: Victória Guimarães Zanetti
    Série: 2º ano B

    A região oeste da Bahia é formada por 24 municípios agrupados em 3 microrregiões, tal região pertenceu ao Estado de Pernambuco até meados de 1824. Após três anos sob administração mineira foi anexada ao Estado da Bahia em 1827. Dentre os municípios que fazem parte da região, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério são destaques em termos de economia e desenvolvimento.
    Com 138.037 de habitantes e um Pib de 925.490, o municío de Barreiras destaca-se como principal centro urbano, político, tecnológico e econômico da Região Oeste da Bahia, a base de sua economia é a agropecuária ( soja, algodão, milho, fruticultura, café e gado) assim como na maioria das cidades da região, e fica a cerca de 800 Km de Salvador. È um importante entroncamento rodoviário entre o Norte, Nordeste e o Centro - Oeste do país. As BR's 242, 020 e 135 são as principais vias de acesso ao município, que está interligado com a maioria das cidades da Região Oeste. O município de Luís Eduardo Magalhães, abreviadamente conhecido como LEM, também se destaca quanto a produção de grãos.
    Com uma economia essencialmente agrária graças a uma privilegiada bacia hidrográfica, à topografia plana e ao clima com estações definidas , os municípios da região crescem em um ritmo acelerado recebendo cada vez mais habitantes e movimentando também seu comércio. Todo esse avanço é favorece a região oeste em muitos aspectos, mas a população ainda espera uma melhora na infraestrutura local.

    ResponderExcluir
  10. O oeste da Bahia é uma região privilegiada pelo seu clima e geografia. Inserida no cerrado brasileiro, hoje é um centro de grande desenvolvimento econômico graças, principalmente, ao agronegócio. Barreiras se tornou seu pólo comercial, embora seja muito mal administrada. A região ainda tenta se separar da Bahia tornando-se o Estado do Rio São Francisco, que seria destacado pela sua considerável produção de grãos em nível nacional. O crescimento desenfreado da região, especialmente em Barreiras, tem trazido muitos problemas sociais, com uma grande concentração populacional em face de poucas melhorias na infraestrutura urbana e outras necessidades, como saúde, saneamento e educação. A grande desigualdade no meio urbano tem chamado a atenção. Há a migração de grande quantidade de mão-de-obra sem qualificação profissional em busca de empregos, mas não conseguem desempenhar uma função com a introdução de novas tecnologias no campo, levando ele e sua família a viver em condições desumanas, sujeitas a exploração.

    Lucas Alcantara/2°A

    ResponderExcluir
  11. Esse crescimento foi bom para a região fazendo com que as cidades se desenvolvessem bastante, e a migração para essa região também foi intensa, principalmente pelas pessoas da região sul brasileira, comprando a maioria das terras da região, mas o problema é que com esse crescimento desordenado não vieram políticos capazes de acompanha-lo e conseguir fazer com que as principais cidades acompanhassem esse crescimento em questão de infra-estrutura.
    Esse crescimento é bom para q região, que vai sendo conhecida por todo o Brasil e também por outros países que já estão investindo nela, trazendo novos empregos, mas temos que melhorar as principais cidades da região em termos de saneamento básico, asfaltamento e etc.

    ResponderExcluir
  12. O oeste da Bahia vem a cada ano aumentando seu potencial agrícola e se destacando neste setor , e investindo em tecnologias de ponta para continuar melhorando sua produção e assim ajudando no desenvolvimento do oeste da Bahia gerando empregos e sustentabilidade para a população, como a vinda de fabricas alimentícias e a ferro-via que ira ajudar nossa região a dar mais um salto no desenvolvimento econômico . E uma pena que os políticos não ajudem no desenvolvimento da região se eles colocassem em pratica pelo menos a metade do que eles prometem em discursos eleitorais nossa região estaria muito mais desenvolvida!

    LUCIANO 2ºB

    ResponderExcluir
  13. Vanessa Kunz, 2º A23 de outubro de 2011 21:50

    Pesquisa:
    É a área que contém o eixo principal das vias de transportes, ligando a região às capitais do Estado e do País. Também nela se concentra a maioria dos investimentos produtivos de grandes empresas, o que deu nova configuração ao Oeste da Bahia, tornando Barreiras o maior centro polarizador e o município de maior concentração urbana e taxa de crescimento populacional da região. Nela encontra-se ainda a maior parte da produção de grãos, a maior concentração industrial, comercial e de infra-estrutura de serviços. Devido às suas características internas e a sua dimensão, esta área
    foi subdividida em três subespaços.

    Opinião:
    O oeste baiano vem crescendo cada vez mais em função da exploração agropecuária e agroindustrial. Pois é rico em produção de grãos, vem trazendo novidades e aumentando cada vez mais a sua economia; Barreiras é o pólo que conta com empreendimentos dos segmentos metalúrgicos e de alimentos, entre outros, e Luis Eduardo Magalhães: Com apenas 8 anos de existência, LEM, ocupa hoje a 10ª posição no ranking dos municípios baianos em relação ao PIB da Bahia e a 29ª do Nordeste.
    Portanto surgem então várias discussões sobre a criação do estado do Rio São Francisco que será melhor, pois assim o oeste baiano será melhor, porém Barreira por ser destaque também na produção de grãos tem um fato que prejudica muito a sua posição que é a sua infra-estrutura, pois tem uma situação precária com relação ao esgoto ao céu aberto, ruas esburacadas, educação e saúde.
    Pois o oeste baiano só será bem visto quando tudo isso for resolvido, com um governo que seja responsável e faça aquilo que tem ser feito para que seja melhor para o povo.
    Essa região abriga um dos mais modernos e promissores pólos agroindustrial do Estado, inserido no domínio ecológico Cerrado. Aproveitando o grande potencial agrícola disponível, ali se desenvolve uma agricultura moderna, que utiliza alta tecnologia e adota uma eficiente organização empresarial, tendo na diversificação uma maior sustentabilidade e desenvolvimento regional.
    Um aspecto negativo é que favorecem mais a exportação do que ao local do plantio, e um aspecto positivo é que vem se desenvolvendo cada vez mais, gerando novas oportunidades e empregos e o avanço da tecnologia também favorece muito produzindo mais em um menor tempo.

    Vanessa Regina Kunz, 2º ano A

    ResponderExcluir
  14. O Oeste baiano é uma região localizada no cerrado onde tem um clima bem favorável para a agricultura de algumas plantas como soja, milho, algodão e etc. Essa região vem se desenvolvendo bastante por causa da agricultura, essa região acabou se tornando um local de comercio com a mídia levando a tona todo esse desenvolvimento a região se tornou alvo dos migrantes que vieram à procura de emprego a maioria mão-de-obra sem especialização trazendo para a região outro problema social. Os problemas sociais são faltos de saneamento básico, qualidade de vida, assistência a saúde entre outras coisas. Esses problemas só vêm sendo agravados devido à má administração de nossos governantes. Para que essa região possa crescer cada vez mais precisamos e uma administração de qualidade que pensa no que a região precisa.

    Antônio Victor 2ºA

    ResponderExcluir
  15. Isabella Pimentel, 2° Ano B

    O oeste da Bahia esta superando a situação de vulnerabilidade apresentada anteriormente pela região, no setor agroindustrial, esta sendo modificada cada vez mais, surpreendendo pelas inovações tecnológicas, novos equipamentos e novos produtos. Nas duas últimas décadas, o cultivo de grãos juntamente com a pecuária, definiram uma nova dinâmica à economia de toda a região, o que impulsionou o processo de crescimento e desenvolvimento econômico sendo Barreiras e Luis Eduardo Magalhães, as principais, que são hoje a maior expressão do desenvolvimento da região.

    ResponderExcluir
  16. O oeste da Bahia é privilegiado por características favoráveis para o desenvolvimento da agricultura, responsável pela maior parte do montante de dinheiro arrecadado pelo estado. O desenvolvimento econômico da região gera interesses de pessoas de outros estados, que vem para região atraída por oportunidade de negócio, turismo e emprego. Contudo a vinda de mais pessoas para a região necessariamente os serviços básicos a população devem ser melhorados ou ampliados para atender essa maior quantidade de pessoas, coisa que não acontece. Na saúde a falta de leitos, desemprego, falta de infra-estrutura e desigualdade social são alguns problemas que tendem a aumentar com a vinda de mais pessoas para região que ainda é pouco estruturada.

    Thiago Teixeira Weisheimer, 2º A

    ResponderExcluir
  17. A agricultura praticada nos campos do cerrado do Oeste baiano utiliza-se dos mais modernos recursos disponíveis no mercado; desde o maquinário, implementos, sementes, técnicas de manejo e sobre tudo a pesquisa constante. As principais culturas são: soja, algodão, café irrigado, milho, Capim, Sorgo, arroz e feijão, entre outras.
    O rebanho bovino do Oeste da Bahia é superior a 1,5 milhão de cabeças.Sendo uma atividade praticada através do sistema extensivo em pastagens, identificam-se alguns confinamentos onde, normalmente o criador é agricultor e faz a integração Lavoura Pecuária ou aproveitamento dos resíduos, como palhadas ou caroço de algodão.

    Estão no Oeste baiano, representantes de grandes empresas da cadeia produtiva da pecuária bovina: associação da classe, indústria frigorífica, supermercados e uma população superior 120 mil habitantes.
    Porém,o oeste baiano também tem enfrentado alguns problemas, tais como a estratégia de desenvolvimento econômico da gestão municipal em que tem acentuado a desigualdade socioeconômica entre outros habitantes da cidade, pois suas ações têm beneficiado aos grandes agricultores e empresários do agronegócio e do ramo imobiliário.analisando o PIB, o oeste baiano está no terceiro lugar no ranking baiano. Um absurdo se comparado com a renda mensal da maioria das famílias da cidade, que não chega a dois salários mínimos.

    Júlia Adriani Fioretti
    2º ano B

    ResponderExcluir
  18. Anna Karolina Coité - 2º ano B

    A região oeste da Bahia vem se destacando no cenário mundial pela sua agricultura forte e de qualidade. Tudo isso graças a aspectos naturais, como solo, clima e seus rios. Isso fez a região crescer, principalmente suas duas principais cidade: Barreiras e Luís Eduardo Magalhães.
    Outros pontos também são bem atrativos para essa região: o seu povo alegre e festeiro, suas festas típicas, seu centro histórico, a miscigenação, as grandes marcas de renome nacional, sua natureza e seu Rio Grande e Rio de Ondas. Mas nada disso adianta se ainda há problemas sociais graves, como:a má condição de estradas, a visível diferença social, falta de esgotamento sanitário, a má qualidade na saúde, na infra-estrutura e na educação, fazendo com que a região se torne "feia".
    A região está se desenvolvendo mas falta organização. Então seria necessário os governantes darem mais atenção e investir mais ao nosso oeste, que dá tanto lucro para o poder central.

    ResponderExcluir
  19. Inicialmente o que motivou a chegada de novos exploradores na região do cerrado, foram os seguintes fatores: Baixo custo do preço da terra e vasta área, propicia para a cultura mecanizada, com extensas áreas de terras planas. Com o decorrer dessa exploração vieram melhorias como, energia, estradas com isso dando um salto de desenvolvimento admirável em nossa região. Podemos apontar a melhoria nos índice de emprego com chegada de inúmeras empresas, especialmente aquelas voltadas para o ramo do agronegócio.
    Mas podemos apontar pontos negativos nessa exploração, especialmente a agressão ao meio ambiente notadamente em nossos rios, tornando alguns deles rios extintos. Um ponto que vale ressaltar é que esse desenvolvimento não teve contrapartida em melhorias na zona urbana de nossa cidade que carece de maiores cuidados em sua infraestrutura. Outro ponto negativo a destacar é a carência de serviços públicos como educação e saúde que não acompanharam o desenvolvimento em nossa cidade.

    Aluna:Marianna Dias
    Ano:2° B

    ResponderExcluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  21. O Oeste da Bahia vem com um avanço em larga escala no que se refere à agricultura principalmente na área de grãos, tal avanço serve de atração para investimentos tanto no setor público quanto privado da região, melhorando a qualidade de vida da maioria e abrindo novas oportunidades para empregos como operadores de máquinas e etc.

    Existem leis de preservação ambiental quanto a permanência de certas quantidades de mata nativa por hectares, mas ainda com a presença de tais leis considero uma degradação ambiental enorme, já que os milhares de hectares que hoje produzem alimentos que consumimos já foram mata nativa.

    Iago Leite 2ºB

    ResponderExcluir
  22. Essa região abriga um dos mais modernos e promissores pólos agroindustriais do Estado, inserido no domínio ecológico Cerrado. Aproveitando o grande potencial agrícola disponível, ali se desenvolve uma agricultura moderna, que utiliza alta tecnologia e adota uma eficiente organização empresarial, tendo na diversificação uma maior sustentabilidade e desenvolvimento regional. Além disso, a região apresenta vantagens comparativas que vão desde condições climáticas, altitude, recursos hídricos abundantes e preços de terras atrativos.
    Como aspectos positivos têm o crescimento economicamente em função da exploração agropecuária e agroindustrial; as inovações tecnológicas, novos equipamentos, pesquisas agronômicas, novos produtos em verdadeiros tecnopolos de agronegócios, tal situação notabiliza a Região Oeste do Estado. Porém, o crescimento tem trazido uma grande concentração populacional, e com isso, muitos problemas sociais; outro aspecto que deixa a desejar é a falta de infraestrutura.
    Essa região nos últimos anos alcançou uma alta taxa de crescimento e possui um enorme potencial para continuar crescendo e, na minha opinião é de grande importância, pois possibilita a chegada de novos empreendedores e de mais investimentos.

    Anna Paula Rodrigues – 2º A

    ResponderExcluir
  23. O Oeste Baiano se encontra em um crescente desenvolvimento econômico, baseado principalmente na agronomia, em que se destaca a produção de soja, mas também ocorre a produção de outros grãos, como o milho, o arroz, o feijão, e como os mais recentes apresentam-se o algodão e o café. É claro que esse desenvolvimento traz consigo inúmeros pontos positivos para a região: há um maior investimento em máquinas agrícolas, tão como nas pesquisas tecnológicas que favorecem a atividade agrônomica na região, transformando-a em um verdadeiro tecnopolo agronômico. Por conta desse gradativo desenvolvimento, há uma maior concentração de pessoas na região, muitas delas oriundas de outras localidades em busca de trabalho, e, consequentemente, causa uma enorme desigualdade social pela má distribuição da renda e uma deficiência em infra-estrutura. No meu ponto de vista, o desenvolvimento gera um maior investimento na região por ramos empresariais, o que leva a ser importante para o Oeste Baiano, e que, por conta disso, deve-se priorizar uma melhoria na infra-estrutura, uma vez que esta não condiz com a atual situação econômica da região.

    Letícia Lima - 2º A

    ResponderExcluir
  24. Oeste baiano tornou-se a principal fronteira
    agrícola do Estado. Devido aos acréscimos
    das áreas de grãos,cultivos perenes e na agricultura irrigada, produziram-se importantes
    transformações, principalmente no que se refere ao uso e ocupação da terra. O desenvolvimento dessa região fez da Bahia um importante
    produtor nacional de grãos,café,frutas... O
    maior produtor de soja é o município de São Desidério, responsável por grande parte da produção do Estado, que fica ao sul dos municípios de Barreiras e Luís Eduardo
    Magalhães. Agentes econômicos do
    agronegócio na região consideram que apenas os produtos destinados à exportação terão um
    crescimento substantivo da demanda. Então, com a melhoria da Agricultura do Oeste Bahiano, pode ser afirmar que terá assim uma melhor Infra-estrutura.

    Vitória Aguiar 2°B

    ResponderExcluir
  25. A região Oeste da Bahia é uma das que mais crescem economicamente em
    função da exploração agropecuária e agroindustrial, cuja intensificação se deu
    na década de 80 e vem registrando taxas acima das contabilizadas pelo país.
    desde o início dos anos 1990. Um dos grandes sustentáculos desse
    desenvolvimento tem sido o agronegócio, em especial o segmento produtor de
    grãos, notabilizando-se a Região Oeste do Estado.
    O Oeste da Bahia, até a década de 1970, caracterizava-se por um modelo de
    agricultura de subsistência baseado nas culturas de milho, feijão e arroz, ao
    lado de uma pecuária extensiva. A partir da década de 80, com a implantação e
    expansão da sojicultura, a região ganha uma nova dinâmica de
    desenvolvimento, inserindo-se de forma progressiva e competitiva na estrutura
    produtiva estadual e nacional, notabilizando-se como principal área produtora
    de grãos do Nordeste brasileiro, com a consolidação não só da cultura da soja,
    como do milho, do arroz, do feijão e, mais recentemente do algodão e do café
    de qualidade.
    A expansão da agricultura no Oeste baiano deveu-se a uma série de fatores
    naturais – condições edafoclimáticas favoráveis – e a recursos tecnológicos
    modernos – avanço dos sistemas de irrigação, mecanização das lavouras e
    utilização de sementes desenvolvidas especificamente para as condições do
    cerrado e, principalmente a um arrojado programa de infra-estrutura viária,
    adequado.
    A produção agrícola é comercializada predominantemente no mercado interno,
    sobretudo para os estados do Nordeste, sendo que a soja, carro chefe da
    matriz produtiva regional, destina-se prioritariamente ao mercado externo, sob
    a forma de grãos, farelo e óleos.

    Hanna - 2ºB

    ResponderExcluir
  26. Entre todos os aspectos positivos e negativos do desenvolvimento do Oeste da Bahia podemos destacar como aspectos positivos: Devido a região propiciar o desenvolvimento da agricultura há uma enorme produção de soja, milho, feijão, além de desenvolver um vasto desenvolvimento também na agropecuária, favorecendo assim a uma maior obtenção de lucro, gerando um economia bastante desenvolvida, sem falar também no desenvolvimento agro-industrial que ocorre na região; Já como aspectos negativos temos: mostra a falta de infra-estrutura das rodovias para o transporte das mercadorias provenientes do auto desenvolvimento da região.
    Na minha opinião o Oeste Baiano tem de tudo para se desenvolver mais e mais, propiciando um maior faturamento para a região, só basta melhorar a infra-estrutura da região melhorando assim o escoamento das mercadorias.

    Raquel Lima Ferreira 2º"A"

    ResponderExcluir
  27. A região do Oeste da Bahia vem se desenvolvendo cada vez mais. Tanto devido à privilegiada bacia hidrográfica quanto à topografia e ao clima, que facilitaram a expansão das lavouras de sequeiro e a implantação dos projetos de irrigação, principalmente nos municípios de Barreiras e São Desidério.
    Nos últimos 20 anos, o cultivo de grãos e a pecuária definiram uma nova dinâmica à economia de toda região, impulsionando o processo de crescimento e desenvolvimento econômico de Barreiras, Santa Maria e Barra.
    Todo esse desenvolvimento da região, é claro que traz inúmeros benefícios econômicos, impulsionando a vinda de grande número de trabalhadores, devido à movimentação dos comércios. Esse aumento populacional, porém, não é suportado, por causa da precária infraestrutura municipal e ao descaso por parte da prefeitura, que não se preocupa com a estrutura e com o desenvolvimento da cidade, mas que, ultimamente, tem se preocupado com projetos polêmicos que só trazem conflitos entre a população.

    ResponderExcluir
  28. A cultura foi uma das grandes responsáveis pelo desenvolvimento da região. A plantação de soja e algodão fez com que o oeste da Bahia tivesse um crescimento imenso. As lavouras transformaram as cidades da região. Em Barreiras, a economia cresceu empurrada pelo agronegócio. Em Luiz Eduardo Magalhães, as lavouras causaram uma explosão demográfica. Há pouco mais de uma década só havia mato, onde hoje se enxergam as residências. A cidade era distrito de Barreiras e cresceu 130% no período, segundo o IBGE. A soja também gera empregos, 40 mil vagas diretas na região. Segundo os agricultores, a produção de soja no oeste da Bahia só não é maior porque faltam estradas e infraestrutura para escoar a produção.

    Kamilla Abdallah 2ºB

    ResponderExcluir
  29. O oeste da Bahia é uma região que vem crescendo aceleradamente e com uma infra-estrutura de boa qualidade, O oeste da Bahia é um dos principais produtores de soja e de algodão, sendo assim colocada como a região de alta produtividade Mundial, com tal reconhecimento as cidades e municípios começam a ganhar força, ou seja, economia cresce, capital aumenta e a qualidade de vida das pessoas melhora.Infelizmente temos problemas no oeste baiano, sendo um deles o meio de trasporte da safra de algodão e soja, e alem desse muitos outros problemas.

    ResponderExcluir
  30. A região Oeste da Bahia é uma das que mais crescem economicamente em
    função da exploração agropecuária e agroindustrial, cuja intensificação se deu
    na década de 80 e vem registrando taxas acima das contabilizadas pelo país.
    desde o início dos anos 1990. Um dos grandes sustentáculos desse
    desenvolvimento tem sido o agronegócio, em especial o segmento produtor de
    grãos, notabilizando-se a Região Oeste do Estado.

    A agricultura praticada nos campos do cerrado do Oeste baiano utiliza-se dos mais modernos recursos disponíveis no mercado; desde o maquinário, implementos, sementes, técnicas de manejo e sobre tudo a pesquisa constante. Estão no Oeste baiano, representantes de grandes empresas da cadeia produtiva da pecuária bovina: associação da classe, indústria frigorífica, supermercados e uma população superior 120 mil habitantes.

    Esse potencial é representado pelos Cerrados com a área cultivada de 1.369
    milhão de hectares e as médias de produtividade alcançam os mais altos
    patamares do país, a região ainda apresenta uma disponibilidade de terra para
    cultivo superior a 3 milhões de hectares, com topografia favorável à agricultura
    mecanizada. Além disso, a região apresenta vantagens comparativas que vão
    desde condições climáticas, altitude, recursos hídricos abundantes, preços de
    terras atrativos, acrescidas do apoio governamental como incentivos e
    investimentos em infra-estrutura básica (energia, estrada e comunicações).

    Mais com tudo isso ainda podemos observar que os políticos não dão atenção para que nossa região tão rica cresça mais.

    Leonardo Lima 2° A

    ResponderExcluir
  31. As cidades de Barreiras e Luís Eduardo Magalhães vivem a prosperidade advinda dos agronegócios. Os negócios crescem em ritmo acelerado impulsionados pelo campo; Os negócios não param de ocorrer em vários segmentos, impulsionados pela atividade agropecuária. O oeste baiano é uma área revitalizada pela lavoura de soja e outros produtos destinados inclusive ao mercado externo. O fluxo de mercadorias é intenso, e o comércio é diversificado. Um ponto negativo que chama a atenção é a falta de infraestrutura urbana, em termos de asfalto e saneamento, e visível desigualdade social, onde se observam moradias de ótimo padrão na cidade e núcleos favelados na periferia.


    Marillia Bastos 2ºA

    ResponderExcluir
  32. O Oeste Baiano esta vivendo uma época muito produtiva e devido a isso ganhando importante papel no Pais, O oeste da Bahia vem crescendo em um ritmo continuo e produtivo, tanto é que acabou se tornando um dos principais produtores de Soja e de Algodão e ganhando o reconhecido mundial.Devemos destacar as cidades de Barreiras e Luis Eduardo Magalhães que vem crescendo juntamente a região, afinal ambas fazem parte do Oeste baiano, Tal produtividade trás consigo desenvolvimento para a região, reconhecimento e capital, melhorando assim a qualidade de vida de muitos indivíduos.Em meio a tantos pontos positivos existem obviamente os negativos que são a falta de infra-estrutura por parte do transporte, falta de requisitos básicos como o saneamento básico, asfalto e outros mais.
    Andressa Gnoato 2°Ano B

    ResponderExcluir
  33. A região Oeste da Bahia é uma das que mais crescem economicamente em função da exploração agropecuária e agroindustrial, cuja intensificação se deu na década de 80 e vem registrando taxas acima das contabilizadas pelo país. Um dos grandes sustentáculos desse desenvolvimento tem sido o agronegócio, em especial o segmento produtor de grãos. Além disso, a região apresenta vantagens comparativas que vão desde condições climáticas, altitude, recursos hídricos abundantes, preços de terras atrativos, acrescidas do apoio governamental como incentivos e investimentos em infra-estrutura básica (energia, estrada e comunicações).

    Características

    • A principal característica da região é a sua diversidade agropecuária. Todas essas culturas com produtividades competitivas, estando entre as primeiras do Brasil.
    • A pecuária de corte se insere e se destaca como um componente técnico e econômico indispensável para a sustentabilidade da ocupação destes solos.
    • Na sua matriz produtiva os grãos – soja, milho, algodão e feijão – se constituem no principal elemento do cenário econômico, seguidos do arroz, da fruticultura, do café, da mamona e do sorgo;
    • Região formada por 23 Municípios;
    • O Oeste da Bahia está a 947 km de Salvador e 630 km de Brasília.
    • A região ainda apresenta uma disponibilidade de terra para cultivo superior a 3 milhões de hectares, com topografia favorável à agricultura mecanizada.
    • Pluviosidade chega a 1.800 mm;
    Essa região abriga um dos mais modernos e promissores pólos agroindustriais do Estado, inserido no domínio ecológico Cerrado. Aproveitando o grande potencial agrícola disponível, ali se desenvolve uma agricultura moderna, que utiliza alta tecnologia e adota uma eficiente organização empresarial, tendo na diversificação uma maior sustentabilidade e desenvolvimento regional.

    2° ano B

    ResponderExcluir
  34. O oeste da bahia ven en constante desenvolvimento por conta dos agronegocios que a região vem desenvolvendo. MAs as cidades aqui situadas não estão preparadas para receber tamanho desenvolvimente como estão recebendo agora, por isso as cidades estão tao desorganizadadas e sen estrutura alguma para receber grande movimentação. Sem falar do prejuiso que a agricultura traz para o mei anbiente.
    Max Evandro 2º b

    ResponderExcluir
  35. O Oeste da Bahia, região compreendida entre os municípios de Formosa do Rio Preto, ao norte na divisa com o estado do Piauí, e Cocos, ao sul na divisa com o estado de Goiás, representa uma importante fronteira agrícola do País. Considerando as formações de Cerrado e transição com outros ecossistemas a região ocupa aproximadamente 9,6 milhões de hectares, sendo que a área destinada ao desenvolvimento da agropecuária corresponde atualmente a mais de 2 milhões de hectares.
    Soja e algodão são os dois principais produtos agrícolas, sendo que somente no período de 1998 a 2003 houve um aumento em 56% da produção de algodão na região. De acordo com dados do IBGE, no Oeste baiano estão concentrados 92% de toda a produção de grãos e alguns estudos estimam que a região possua um grande potencial para expansão, especialmente quando se considera a extensão de áreas disponíveis e as condições climáticas e edáficas propícias.
    Sob o ponto de vista da biodiversidade, o Oeste da Bahia é também uma importante região para a conservação do Cerrado, pois nessa região há uma boa concentração de remanescentes de vegetação nativa, condição essa somente superada pelos cerrados do sul do Piauí e Maranhão. Estimativas realizadas com o uso de imagens recentes de satélite indicam que a cobertura vegetal nativa supera os 60% da área original (CI - Brasil, dados não publicados). Boa parte da ocupação agropecuária está concentrada no extremo oeste da região, mas os avanços sobre áreas nativas ocorrem de maneira bastante rápida.
    O Produto Interno Bruto dessa região atinge 2,5 bilhões de reais em 2007,
    gerando uma renda per capita média em torno de 6 mil reais (SEPLAN-SEI, 2009). Devemos,
    contudo destacar que grande parte da riqueza dessa região concentra-se fundamentalmente
    nos municípios de Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e São Desidério que juntos
    representam quase 80% de toda a produto regional.

    ResponderExcluir
  36. Mesmo de forma desordenada a região do Oeste da Bahia por consequência de sua forte agropecuária e agricultura é uma das regiões que mais geram economia na Bahia mas ainda não possui uma boa estrutura política e não está preparada para se dividir da Bahia e formar o estado de São Francisco pois a corrupção do Brasil é muito elevada e com toda a renda gerada pela região Oeste seria mais roubada ainda devido ao despreparo administrativo.
    Max Richard Lopes Porfírio
    2º ano A

    ResponderExcluir
  37. O Oeste da Bahia vem crescendo em um ritmo bastante rápido, o cultivo de grãos juntamente com a pecuária, foram os principais produtos que fizeram com que esta região tivesse esse impulso em sua econômia, sendo a cidade de Barreiras, a que tem a maior expressão de desenvolvimento na região.
    Porém encontramos algumas falhas neste desenvolvimento, quando levamos em conta a questão da infra-estrutura das cidades que compõe esta região, uma vez que é pouco o investimento dada a estas.

    ResponderExcluir
  38. Comentário: A região oeste vem crescendo e se desenvolvendo com o passar dos anos devido principalmente à produção agrícola de soja e algodão. Isso vem desenvolvendo as cidades de Barreiras e Luís Eduardo aumentando a renda da população, mas a desigualdade também vem crescendo, enquanto muitos vivem em casas lindas e enormes outros amontoados na periferia. Devido à produção agrícola que além de melhorar a economia vem atraindo o investimento de empresários e sediando indústrias, lojas de marcas famosas e redes de lanchonetes.
    Suzana 2º B

    ResponderExcluir
  39. Aluna: Gabriella Freire – 2º ano A

    A economia no oeste da Bahia é composta basicamente por agropecuária, indústria, mineração, turismo e nos serviços. Correspondendo por 36% do PIB do Nordeste e mais da metade das exportações da região. Dentre os estados brasileiros, conta com o sexto maior PIB. A indústria tem forte participação econômica no estado, volta-se para os setores da química, petroquímica, agroindústria, informática, automobilística e suas peças. Os negócios crescem em várias áreas, impulsionadas pelo agropecuária. A Bahia é o primeiro produtor nacional de cacau, sisal, mamona, coco, feijão e mandioca, sendo os dois últimos mais voltados para a subsistência do que para a comercialização. A região de Ilhéus é uma das mais propícias áreas para o cultivo do cacau em toda a Bahia. Tem bons índices também na produção de milho e cana-de-açúcar.Fator prioritário da econômia baiana, a pecuária bovina ocupa hoje o sexto lugar nacional, enquanto a caprina registra atualmente os maiores números do setor em todo o Brasil. Porém, em meio a tanto desenvolvimento ainda encontra-se grande falta de infraestrutura urbana como saneamento básico e asfalto e desigualdade social . Há também pouco investimento em áreas importantes como educação e saúde.

    ResponderExcluir
  40. O oeste da Bahia, a cada dia que passa vem tendo grandes avanços: econômicos, tecnológicos e industriais. Onde cada um deles estão relacionados ao grande desenvolvimento da região, o que favorece além da própria região, todo o estado. Como sabemos, avanços econômicos sempre trazem conseqüências positivas na estrutura de qualquer lugar, porém não é o caso da região oeste da Bahia, que tem Barreiras como seu principal município, e onde a situação de infraestrutura não é nada boa, causando grande revolta de toda a população, que praticamente perdeu as esperanças para com a atual prefeita, Jusimari de Oliveira, outra polêmica é a criação de um shopping no Paque Geraldo Rocha(onde, atualmente ocorre a EXPOSIÇÃO), que, mesmo com todo esse avanço, não é uma boa idéia devido ao baixo contingente populacional do município, que ainda não está apto a uma ferramenta(shopping) deste porte. A parte boa desse desenvolvimento é que se ele continuar , o este da Bahia irá se valorizar cada vez mais, obtendo-se a possibilidade de mais desenvolvimento na estrutura, podendo assim, que Barreiras, esteja apta a ser a capital, futuramente, do estado do Rio São Francisco.

    ResponderExcluir
  41. A principal característica da região é a sua diversidade
    agropecuária. A região Oeste da Bahia é uma das que mais crescem economicamente em
    função da exploração agropecuária e agroindustrial,A expansão da agricultura no Oeste baiano deveu-se a uma série de fatores
    naturais – e a recursos tecnológicos
    modernos – avanço dos sistemas de irrigação, mecanização das lavouras e
    utilização de sementes desenvolvidas especificamente para as condições do
    cerrado e, principalmente a um arrojado programa de infra-estrutura viária,
    adequado. A produção agrícola é comercializada predominantemente no mercado interno,
    sobretudo para os estados do Nordeste, sendo que a soja, carro chefe da
    matriz produtiva regional, destina-se prioritariamente ao mercado externo, sob
    a forma de grãos, farelo e óleos.

    Gustavo Lucena, 2° ano A

    ResponderExcluir
  42. O oeste da Bahia mudou bastante á alguns anos. A economia mudou principalmente devido a agricultura, e com isso as cidades do oeste foram ficando mais conhecidas e assim abrindo portas para novos empreendimentos. Que assim foi enriquecendo a cidade fornecendo mais empregos para a própria população e para imigrantes. Com tudo isso, o oeste da Bahia está se desenvolvendo, muito mais economicamente do que estruturalmente. Pois algumas cidades são muito mal cuidadas.
    Rafaela Coité 2º ano A

    ResponderExcluir
  43. A região oeste da Bahia vem se desenvolvendo muito graças a agricultura e a pecuária que está desenvolvendo a região. Gerando assim muitos empregos e trazendo indústrias parra essa região.
    Com todo esse desenvolvimento a um crescimento desenfreado das cidades e devido a imigração de pessoas, e com isso devido as administrações dos políticos negligente a cidades enfrentam problemas graves de infra-estrutura e problemas sócias, como aumento da violência falta de escola para crianças falta de moradias entre outro fatores.
    2ºA

    ResponderExcluir
  44. Bruno Toniazzo 2° B
    Tendo como principais produtos a soja, o algodão, milho, arroz, feijão e o café. A produção é caracterizada pelo uso de tecnologia avançada, tanto nas maquinas, quanto nos produtos e sementes, o que faz com que ela seja de alta qualidade. O crescimento da agricultura proporcionou o crescimento das cidades da região, como Barreiras, que atrai pessoas vindas de todo o país em busca de empregos ou investimentos. Se todo o capital em circulação na região for bem administrado pelos governantes, o desenvolvimento pode ser ainda maior, e a criação do estado do São Francisco se concretizar.

    ResponderExcluir
  45. A região do Oeste da Bahia atualmente vem crescendo em uma escala muito rápida com a sua produção de grãos que agora ultrapassa a produção de Sorriso no Mato-Groso, também conhecida na produção de uma das melhores plumas do Brasil.
    Então por causa desses fatores e até mesmo políticos, nossa região e esquecida pelo estado, a criação de um novo estado como o do Rio São Francisco seria muito importante para o melhor desenvolvimento da região, dessa forma se tornando independente poderia aumentar mais suas produções trazendo mais desenvolvimento, melhorando a qualidade de vida das pessoas da região(cidades).
    Daniel Donadel 2ªA

    ResponderExcluir
  46. O oeste da Bahia é uma região do Brasil que vem crescendo muito rapidamente, vem trazendo grandes novidades no que des respeito ao agronegócio; o plantio de várias culturas está aumentando cada vez mais a economia desta área,Que assim foi enriquecendo a cidade fornecendo mais empregos para a própria população e para imigrantes,A agricultura praticada nos campos do cerrado do Oeste baiano utiliza-se dos mais modernos recursos disponíveis no mercado; desde o maquinário, implementos, sementes, técnicas de manejo e sobre tudo a pesquisa constante. Estão no Oeste baiano, representantes de grandes empresas da cadeia produtiva da pecuária bovina: associação da classe, indústria frigorífica, supermercados e uma população superior 120 mil habitantes.

    ResponderExcluir
  47. Mesmo estando desorganizada a Região Oeste da Bahia por conta de sua forte agropecuária e agricultura, é uma das regiões que mais gera capital na Bahia, mas infelizmente ainda não tem uma estrutura politica estável e portanto ainda não esta preparada para se dividir da Bahia e consequentemente formar o Estado do São Francisco, pois como todos sabemos o nosso país é muito corrupto e com toda renda gerada pelo Oeste da Bahia seria motivo de mais roubo por conta de não ter uma pessoa que saiba administra-la de forma correta.
    Danielly Lorrany 2º ano A

    ResponderExcluir
  48. Aspectos Positivos e Negativos
    Como aspectos positivos temos: o enorme desenvolvimento da região, proporcionado pelo agronegócio, que acaba por beneficiar a economia, e trazendo cada vez mais o crescimento da região, atraindo pessoas de diversas partes do país;
    Já como aspectos negativos apresenta-se a enorme falta de estrutura das rodovias dá região, modo pelo qual ocorre o fluxo das mercadorias produzidas na região. Necessita-se assim de uma maior infra-estrutura, para um melhor escoamento da produção.

    Opinião
    Na minha opinião, esse desenvolvimento na região do Oeste da Bahia, trás muitos beneficios para região, proporcionando o melhoramento tanto na economia, como nas próprias necessidades da região. Só basta uma melhor administração dos métodos ligados a esse desenvolvimento.

    Felipe Vieira 2º ano A

    ResponderExcluir
  49. A região Oeste da Bahia vêm ganhando grande destaque a nível nacional e internacional. Por ser altamente produtiva, está atraindo mais capital estrangeiro: Um exemplo é a instalação de uma multinacional que trará mais desenvolvimento à região.
    A região é muito importante pois uma parte muito significativa do PIB do Brasil sai dela.

    ResponderExcluir
  50. O Oeste da Bahia vem gradativamente prosperando economicamente, trazendo consigo grandes pólos agropecuários. Antes o que era apenas um povoado, agora é fundamental à economia estatal. Considera-se revalorização econômica do oeste advinda da expansão da agricultura e do surgimento de novos territórios do agronegócio.
    A modificação do modo de produção, obtida pela substituição da agricultura de subsistência pelo agronegócio, causou e vem causando impactos acentuados no que diz respeito à configuração territorial da Região Oeste da Bahia
    Os incentivos proporcionados pelo governo referentes à ocupação e aquisição da terra, os financiamentos para o custeio da produção, boa infra-estrutura que permitiram a mecanização e escoamento das colheitas, além do investimento em pesquisa propiciaram o cultivo desenfreado de soja em um solo ácido, fatores responsáveis também pela vinda de intensos fluxos migratórios para o Novo Nordeste.
    Percebe-se desde então, uma estratégia dotada por um governo de caráter economicista, que tende a produzir nesse Eldorado, além de safras recordes grãos, acentuada desigualdade socioeconômica.
    Elizabeth 2º ano A

    ResponderExcluir
  51. O oeste da Bahia é uma região que hoje está entre as regiões que mais movimentam economia no país. Todo esse desenvolvimento se deve a agricultura, principal atividade econômica da região, agricultura essas que encontrou excelentes condições de solo e clima. Hoje os produtos aqui produzidos são de ótima qualidade e de alto valor de exportação. Todo esse desenvolvimento acabou gerando a possibilidade de o oeste da Bahia se separar do resto da Bahia formando assim um novo estado, o Estado do Rio São Francisco. Porem não é de interesse dos governantes fazer essa separação pois o oeste da Bahia é muito importante para a economia do Bahia.

    ResponderExcluir
  52. O oeste da Bahia é uma das regioes do Brasil com maior potencial economico,ainda mas se for hemancipado da Bahia formando o Estado do Rio Sao Francisco que vai trazerum maior crescimento,pois o capital que é produzido aqui,será utilizado aqui,valorizando as empresas que aqui estao instaladas,e atraindo mais empresas para se instalar aqui,o que ja está acontecendo.Mas se a cidade de Barreiras que possivelmente será capital,nao tem estrutura ainda para alguns tipos de atividades.A iniciativa privada está se declarando,basta a gestao atual fazer bom uso das oportunidades.
    Matheus Costa de Almeida
    2ºB

    ResponderExcluir
  53. om esse desenvolvimento graças à agricultura, a região melhorou muito economicamente, socialmente e outros aspectos. Porém esse desenvolvimento também trouxe pontos negativos, como um acelerado aumento populacional desordenado nas cidades pólo do Oeste por causa de imigrações, e aumento da violência urbana. Um ponto também com esse crescimento, foi à proposta de se criar um novo estado, separando da Bahia, e criando o estado do são Francisco.

    José Luiz Fernandes - 2ºB

    ResponderExcluir
  54. Positivos: O Oeste está passando por um avanço, principalmente no comércio e na agricultura. Na Região Oeste, Barreiras é o pólo do comercio, Luís Eduardo é umas das cidades que mais cresceram ultimamente, São Desidério é o maior produtor de algodão do país e isso faz com que sejamos reconhecidos.
    Negativos: Com o crescimento do prestígio há também o crescimento das cidades, aumentando assim a violência, e a incapacidade do prefeito de governar.
    Mônica Silva 2º ano B

    ResponderExcluir
  55. Oeste da Bahia é uma área revitalizada pela agropecuária e agricultura, a pequena cidade Luis Eduardo Magalhães, que antigamente era o pequeno povoado de Mimoso do Oeste, ela esta situada na BR-242, a 90 quilometro de Barreiras.
    As empresas que querem ser instaladas pelo o governo no centro industrial, temos por exemplo, estão as beneficiadoras de algodão, fiação e tecelagem; processadoras de milho e soja pra ração, produção agrícola e torrefadoras de café. O oeste baiano e muito bem concentrada na produção da soja e outros produtos destinados com incentivo ao mercado externo.
    Com a falta de uma boa estrutura política, que vai demora muito pra ter, ela não esta bem preparada para se dividir da Bahia para se forma o estado do Rio São Francisco.
    Aluno: Jorge Luis da silva Alves Junior
    Serie: 2ºano A

    ResponderExcluir
  56. o oeste bahiano e uma regiao que cresceu muito com o avanço da agricultura e com a migraçao de pessoas de varias regiões do brsil,com isso veio o crescimento desenfreado veio tambem a falta de estrutura , a violencia e passa ano e entra ano e isso nao e resolvido e vira um ciclo vicioso
    ahmad ali 2ºano b

    ResponderExcluir
  57. O oeste baiano é responsável pela maior parte da produção de grãos do estado, tem como cidade principal Barreiras. Apesar de todas essas riquezas também existem vários fatores preocupantes, como por exemplo, o desmatamento e a destruição da biodiversidade de áreas vastas, além da poluição de mananciais e solos com a eliminação incorreta das embalagens de agrotóxicos e os grandes incêndios.
    Apesar de ser uma região muito rica, essa riqueza é distribuída de forma concentrada pois são poucos com muito e muitos com pouco, é nessa região que concentra-se os grandes latifúndios e empresários. É uma região que cada dia que passa aumenta o numero de grandes empresas que se instalam.
    Jéssica Segatto 2º ano A

    ResponderExcluir